Queda do Bitcoin afetou mercado financeiro tradicional

Moeda digital teria causado problemas para ativos listados em bolsas e até commodities.

Siga no
Mão segurando Bitcoin em gráficos de mercado
Mão segurando Bitcoin em gráficos de mercado

A queda do Bitcoin nos últimos dias chamou atenção do mundo, afetando até o mercado financeiro tradicional, segundo a Financial Times. Desde a cotação máxima, alcançada em 14 de abril, a cotação da moeda caiu 42%.

Tudo isso porque vários fatores encadeados levaram investidores a uma sensação de FUD (abreviação em inglês para Medo, Incerteza e Dúvida). O começo do movimento teve relação com a Tesla e Elon Musk, quando a empresa passou a não aceitar mais a criptomoeda como meio de pagamento.

Aproveitando o movimento, países emitiram alertas sucessivos contra o Bitcoin, como Argentina, Bolívia, China e Cuba. Para quem imaginava que a queda seria apenas no mercado de criptomoedas, acabou se surpreendendo com a correlação com o mercado financeiro.

Mercado Financeiro tradicional sente queda do Bitcoin, diz Financial Times

O portal de notícias inglês Financial Times (FT), referência na cobertura mundial do mercado financeiro, fez uma análise sobre a queda do Bitcoin nos últimos dias.

De acordo com a FT, a turbulência do Bitcoin teria se infiltrado nos mercados de ações e até commodities. A notícia afirmou até que em caso de uma grande queda no Bitcoin, o mercado poderia sentir ainda mais o movimento.

Os principais ativos a sentir a queda da criptomoeda foram o petróleo e os futuros do índice de ação do S&P 500. Outro movimento percebido pela análise do FT é a alta do Iene japonês, uma moeda que é considerada reserva quando o mercado entra em desespero.

Alguns analistas que conversaram com a reportagem afirmaram não entender como os ativos financeiros tiveram o mesmo comportamento de mercado que o Bitcoin, principalmente no dia 19 de maio, que marcou uma das maiores derrocadas na cotação da criptomoeda.

Títulos europeus também sentiram queda do Bitcoin

Um analista do banco Barclays, com sede no Reino Unido, também observou que a queda do Bitcoin arrastou os títulos corporativos europeus para baixa no mercado. Como esses ativos estariam ligados ao S&P 500, a baixa na cotação da criptomoeda teria cruzado continentes no mercado financeiro global.

Uma das explicações também poderia ser a aquisição de Bitcoin por parte de empresas, como a Tesla. Como essa é listada em bolsa de valores, e suas aquisições em criptomoeda acabaram ficando ruins, o reflexo de suas ações no mercado afetaram vários ativos.

O medo de alguns investidores do mercado financeiro tradicional então é que o preço do Bitcoin caia mais, causando estragos em seus investimentos.

Outros investidores, contudo, torcem para que as criptomoedas despenquem, para que investidores de risco voltem para o mercado de renda variável tradicional, impulsionando seus ativos em queda.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

NFT pode “matar” o Bitcoin? Qual a relação entre ambos?

É provável que muita gente conheça os NFTs, regularmente confundidos com “arte digital”. A ação ganhou força após Stephen Curry, astro da NBA, e...
Plataformas NFT e Ethereum empresas

Empresas listadas na bolsa apostam no mercado de NFT

O crescimento do mercado de NFTs tem quebrado barreiras mais rápido do que outros recursos relacionados a blockchain. Hoje até mesmo grandes empresas, listadas...
Dúvida sobre o Bitcoin ser caçado pela China

Mineradores brasileiros comentam banimento de Bitcoin pela China

A proibição de Bitcoin pela China nos últimos dias abalou o mercado, com muitas pessoas ficando preocupadas com isso, menos dois mineradores brasileiros que...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias