Recorde de preço do Bitcoin foi causado pela inflação, diz JPMorgan

Embora o Jamie Dimon, CEO do JPMorgan, não acredite que o Bitcoin possa valer algo, seus analistas parecem ter um melhor entendimento do mercado ao apontar que o recorde de preço da moeda digital foi causado pela inflação do dólar e outras moedas fiduciárias.

Conforme novas gerações começam a entrar no mercado financeiro, preferindo ativos digitais do que físicos, como o ouro, estas empresas de gerenciamento de capital precisam se atualizar caso queiram continuar ganhando dinheiro.

Outras duas empresas que têm a mesma visão do JPMorgan são a PIMCO e o Capital Group, que somadas gerenciam quase 5 trilhões de dólares em ativos. Suas entradas no Bitcoin, ainda que devagar, poderão impulsionar ainda mais o preço do Bitcoin, fazendo-o bater novas altas.

Melhor que o ouro

Segundo relatado pela Bloomberg, o analista Nikolaos Panigirtzoglou do JPMorgan acredita que o ETF do Bitcoin, aprovado nesta semana, não fará com que entre mais dinheiro no bitcoin. A posição do banco é que o Bitcoin está sendo visto como uma melhor proteção contra a inflação do que o ouro e este foi o motivo do seu novo recorde de preço.

“Nós acreditamos que a percepção do Bitcoin como um melhor hedge de inflação do que o ouro é a principal razão para a atual alta, desencadeando uma movimentação [de capital] de ETFs de ouro para os fundos de Bitcoin desde setembro.”

ETFs de Ouro vs Fundos de Bitcoin. Fonte: JPMorgan

O fato de um ativo ser proteção, ou não, contra a inflação das moedas fiduciárias está muito ligado ao consenso. Os baixos rendimentos do ouro são uma prova disso, conforme novas gerações estão entrando no mercado, elas estão pressionando o uso de novas tecnologias, como o Bitcoin, visto que elas apresentam várias vantagens como facilidade de armazenamento e transporte, maior segurança na custódia e um crescimento pré-determinado e finito da sua oferta.

Esta não é a primeira vez que o banco assume que o Bitcoin está sendo mais atrativo que o ouro. Neste mesmo mês, o banco havia apontado três razões do preço do Bitcoin ter dobrado em poucos meses: liberdade, adoção e proteção.

JPMorgan não está sozinho

O JPMorgan não está sozinho nesta opinião, outros grandes players da indústria como a PIMCO, que gerencia 2,21 trilhões de dólares, e o Capital Group, que gerencia 2,6 trilhões, também acreditam que o Bitcoin veio para ficar.

“Há um apelo tremendo por este tipo de ativo”

Esta foi a fala de Mark Casey, gerente de portfólio do Capital Group, durante um webinar nesta quarta-feira. Casey aproveitou a oportunidade para explicar que criptomoedas independentes de bancos centrais, que tenham oferta limitada e controlada fazem com que elas sejam uma ótima proteção contra a inflação.

A mudança, ou criação, de uma opinião sobre o Bitcoin vinda destas empresas que gerenciam trilhões de dólares é um ponto de mudança muito importante na história. Aos poucos eles estão percebendo que as gerações mais novas estarão usando cada vez mais ativos digitais, como Bitcoin, e precisam se atualizar para ganhar este público.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias