Reels, o “TikTok do Instagram” já tem venda de likes falsos com Bitcoin

Usuários podem pagar US $ 5 (R$ 27) por cada 1 mil visualizações e US$ 15 (R$ 81) para cada 1 mil likes no Reels. Há um limite de 500 mil visualizações por pedido.

Siga no

O Tik Tok é uma das plataformas mais populares da internet atualmente e se tornou até mesmo uma disputa política nos EUA. Para não ficar para trás, o Instagram, que pertence ao Facebook, decidiu criar o seu próprio serviço de vídeos de até 15 segundos. No entanto, horas após o lançamento do Reels já era possível encontrar a venda de likes e visualizações falsas por meio de Bitcoin.

Como mostrado em uma matéria do Business Insider, logo após o seu lançamento, vários sites começaram a vender likes e visualizações para o Reels. E isso não é nenhum segredo enterrado na Deep Web, com uma pesquisa rápida é possível encontrar sites oferecendo visualizações por bots na plataforma.

O mais interessante é que com pouco tempo, gerentes de redes de bots (botnets) criaram um mercado em aplicativos criptografados para vender esses serviços utilizando Bitcoin.

Com isso, é muito mais difícil identificar quem oferece esses serviços de visualizações falsas, o que é prejudicial para qualquer rede social.

De acordo com o site, o administrador da botnet, que não quis ser identificado, já recebeu mais de 80 pedidos para inflar vídeos na plataforma com mais de 11 milhões de visualizações.

Ainda segundo o site, ele se recusou a informar quanto recebeu por essas compras de likes e visualizações, mas infirmou que era “o suficiente para um bom carro e uma casa decente.”

Pagamentos são feitos em Bitcoin

O gerente da rede de bots disse cobrar US $ 5 (R$ 27) por cada 1 mil visualizações e US$ 15 (R$ 81) para cada 1 mil likes no Reels. Há um limite de 500 mil visualizações por pedido.

Toda a transação é feita utilizando o Bitcoin, garantindo mais segurança para a empresa que oferecer os serviços.

Caso o cliente já seja conhecido e recorrente, o pagamento pode ser feito pelo Cash App, PayPal ou cartão de crédito.

A rede do vendedor conta com cerca de 500 mil contas do Instagram e trabalha com parceiros terceirizados quando mais contas precisam de mais visualizações e likes. As propagandas para esses serviços são feitas através de aplicativos como o Telegram, que possui criptografia de ponta a ponta.

O maior influencer que conta com esses serviços de likes e visualizações tem mais de 1.5 milhão de seguidores no Instagram.

Reels não tinha proteção nenhuma contra visualizações falsas

De acordo com o homem não identificado, foi fácil gerar as visualizações falsas no Reels e que levou apenas algumas horas para conseguir quebrar a pouca segurança da plataforma em relação a bots.

Aliás, segundo ele, não havia proteção nenhuma contra a visualização por bots no Reels.

“Eu acho que o Instagram está contente de ter nossos serviços para aumentar a popularidade da cópia do TikTok deles.”

Para provar que o serviço realmente funciona, o Business Insider publicou um Reel com apenas uma tela preta e o dia da publicação do vídeo. Através dos bots, esse Reel alcançou mais de 3 mil visualizações (todas falsas) em minutos.

reels likes e visualizações falsos
Reel com visualizações falsas. Fonte: Business Insider

Claro, como é de se esperar, as visualizações falsas prejudicam bastante uma plataforma, principalmente com muitos criadores tentando ganhar notoriedade de forma honesta.

A notícia de que o Reels está tendo visualizações falsas, e com tanta facilidade, com certeza não vai ajudar em nada na missão (quase impossível) da plataforma de ser o principal rival do TikTok.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Matheus Henrique
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.

Tokens DeFi que mais valorizaram no primeiro trimestre de 2021

Um relatório publicado neste sábado (10) pela Messari, empresa especializada em análise de blockchain, revelou os tokens DeFi que tiveram o melhor desempenho no...

Investidores institucionais de olho no Ethereum, mas Bitcoin continua indo bem

O Bitcoin teve uma valorização considerável nos últimos seis meses, com muitos afirmando que o motivo foi a onda de investimentos institucionais. Agora, de...

HSBC proíbe clientes de comprar ações de empresa por regra anti-criptomoedas

A MicroStrategy se tornou uma grande aliada institucional do Bitcoin, sendo até mesmo considerada uma das responsáveis por abrir as portas para muitos outros...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias

Investidores institucionais de olho no Ethereum, mas Bitcoin continua indo bem

O Bitcoin teve uma valorização considerável nos últimos seis meses, com muitos afirmando que o motivo foi a onda de investimentos institucionais. Agora, de...

HSBC proíbe clientes de comprar ações de empresa por regra anti-criptomoedas

A MicroStrategy se tornou uma grande aliada institucional do Bitcoin, sendo até mesmo considerada uma das responsáveis por abrir as portas para muitos outros...

Banir o Bitcoin seria burrice, diz representante da SEC

A advogada americana e representante da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC), Hester Peirce, disse que uma proibição governamental do Bitcoin seria...

Bitcoin e Ethereum próximos de ultrapassar a prata em valor total de mercado

O valor total de mercado do Bitcoin e Ethereum juntos está perto de ultrapassar a capitalização de mercado da segunda maior mercadoria monetária, a...

PancakeSwap dobra de preço em um mês e bate novo recorde

O token CAKE, nativo da exchange descentralizada PancakeSwap - que é uma alternativa mais rápida e mais barata que a UniSwap - atingiu um valor...