Sequestro de empresário tem caso ligado à pirâmide

Sequestradores, sogro e genro, andaram 2 mil quilômetros em busca de reaver dinheiro!

-

Siga no
Sequestro em Maceió choca população, vítima é um empresário acusado de ser líder de pirâmide financeira

Um empresário foi alvo de um sequestro cinematográfico em Maceió no último domingo (24), podendo o caso ter ligações com uma pirâmide financeira. A dupla de sequestradores, um sogro e genro, foram presos em flagrante e a vítima foi liberada.

Se preparando para reaver cerca de R$ 250 mil, a dupla se preparou para praticar atos bárbaros com o empresário. Fortemente armados, inclusive com uma série de itens para praticar torturas medievais, a dupla foi presa em um motel da capital de Alagoas, Maceió. A vítima estava presa em uma cadeira no momento da atuação policial.

Contudo, o que chamou atenção do caso é que os dois sequestradores são militares do Rio de Janeiro. Além disso, eles viajaram pelo menos 2 mil quilômetros para cometer o crime, que já foi confessado pelos dois autores, presos pela polícia em menos de 24 horas.

Cela de prisão
Cela de prisão

Um sequestro de empresário chocou a população de Maceió (AL), caso pode ter ligações com esquema de pirâmide financeira

Nos últimos anos, os brasileiros viram efervescer esquemas de pirâmide financeira, com casos famosos deixando histórias tristes para trás. Um famoso esquema que deixou marcas no Brasil, a Ympactus (Telexfree), está ainda correndo na justiça, e seus sócios foram condenados na última segunda (25) a 12 anos de prisão em regime fechado, além de multa milionária.

Apesar dos casos marcantes, outras pirâmides menores lesam uma série de investidores pelo país. Em um suposto esquema, com sede em Maceió, dois ex-investidores voltaram para se vingar do possível estelionatário, e não chegaram com brincadeira.

Na noite do último domingo (24), um bombeiro e um guarda militar do Rio de Janeiro começaram a colocar um plano ousado em prática. O foco era conduzir um sequestro de um possível estelionatário, que teria levado deles R$ 250 mil em um alegado esquema de pirâmide.

Pirâmide
Pirâmide

Com promessas de rendimentos em operações de compra e venda de ações, o rendimento não estaria sendo pago. No momento da abordagem, os militares do Rio de Janeiro, sogro e genro, seguiam o homem pelas ruas de Maceió e o abordaram com um falso mandado de prisão. Os homens estavam com uniformes falsos da Polícia Militar e armados.

Após “prisão”, empresário foi levado para motel onde dupla passou dias hospedados

Em menos de 24 horas após detectado ser um sequestro, a Polícia Militar em Maceió, começou as buscas pelo empresário acusado de operar uma pirâmide. A dupla foi encontrada em um motel, com a vítima amarrada em uma cadeira e não ofereceu resistência a voz de prisão.

Várias armas, coletes a prova de balas, falsos uniformes da polícia e itens para tortura estavam no local. Além disso, um dossiê com dados do empresário foi recuperado, contendo as atividades dos últimos dias da vítima, que estava sendo monitorada.

A polícia Civil foi chamada para apurar o caso e ouviu ambas as partes. O sogro (bombeiro) e o genro (guarda municipal) ambos do Rio de Janeiro, afirmam que foram até o local cobrar uma dívida. Após investir com a vítima, apontam que teriam sido lesados em R$ 250 mil, sendo esse o motivo do sequestro.

A vítima, por outro lado, aponta que já havia devolvido o investimento ao guarda municipal, mesmo confessando que não pagou rendimentos prometidos. O sequestrador negou ter recebido qualquer valor. Ambos os sequestradores seguem presos e, de fato, tiveram seu plano frustrado pela PM local.

De acordo com o Bom Dia Alagoas, a prisão em flagrante da dupla foi transformada em preventiva. Como são militares e estavam fortemente armados, representam perigo segundo juíza. A defesa dos sequestradores afirmou que irá recorrer da decisão.

Escute o áudio com a explicação feita pelo delegado da Polícia Civil que apura o caso, na íntegra abaixo:

Esquemas de pirâmide não terminam com final feliz e violência tem aumentado entre investidores

Os últimos anos mostram um crescimento das fraudes com pirâmides financeiras. Os estelionatários que criam essas empresas fraudulentas, ao fim do negócio, tentam se desvincular e corriqueiramente inventam desculpas para sair com o dinheiro das vítimas.

Cabe o destaque que quem é lesado pelos golpes normalmente não esquece, e alguns preferem partir para a violência. Um dos motivos que piora essa situação é certamente a demora das autoridades em identificar em finalizar os esquemas financeiros.

Pirâmide Financeira
Pirâmide Financeira

Nos últimos dias, por exemplo, um homem foi morto por dois ex-investidores da D9 Clube de Empreendedores. Essa empresa prometia rendimentos com Bitcoin, mas teria sido encerrada sem dar satisfações aos investidores.

Por fim, ao receber uma proposta milagrosa de rendimentos, desconfie, o final normalmente é certamente trágico.

Saiba tudo sobre:
Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Anúncio

Bitcointrade - 95% dos depósitos aprovados em até 30 minutos!

Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em 5 minutos!

Complete seu cadastro em 5 minutos!
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertolucci
Entusiasta e estudante de Bitcoin, graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

YouTube exibe anúncios de golpe que rouba Bitcoin

Recentemente os golpes com Live Falsas têm se tornado cada vez mais comuns. Curiosamente, a grande maioria delas também estão utilizando o nome de...
Gráficos de ações listadas em bolsa de valores

Nova Bolsa de Valores no Brasil poderá usar Blockchain

O Brasil poderá ver uma nova bolsa de valores sendo instalada no país em breve, segundo rumores. A iniciativa, que estaria sendo conduzida pelo...

Coluna do TradingView: Enquanto o BTC Dorme, as ALTS Fazem a Festa

A mais de 60 dias consolidado, Bitcoin não mostrou reação, do contrário de suas irmãs altcoins. Confira os estudos dos analistas do TradingView. Adrian Caveira BTCUSD depois...