Worldcoin: Criptomoeda do criador do ChatGPT promete dinheiro de graça, mas mente para os usuários

“Prefiro abandonar a sociedade e ir morar na floresta se esse dispositivo de pesadelo distópico for aplicado para que as pessoas desfrutem dos direitos humanos básicos.”, disse um usuário no Reddit, preocupado com sua privacidade.

A Worldcoin, a criptomoeda criada por Sam Altman, fundador da OpenAI e do ChatGPT, está enfrentando um grave problema de confiança. O projeto, que usa orbes para digitalizar íris das pessoas como “prova de identidade”, oferece 25 Worldcoins, uma criptomoeda atualmente sem valor, para aqueles que fornecem seus dados biométricos.

No entanto, a Worldcoin atualmente não pode distribuir sua criptomoeda nos Estados Unidos e em muitos outros países.

As razões citadas vão desde a possível classificação como valor mobiliário pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, sigla em inglês) até preocupações com os tokens caindo nas mãos de patrocinadores estatais do terrorismo, como a Coreia do Norte.

Essa limitação significa que, embora o objetivo principal da empresa seja adquirir dados biométricos de pessoas em todo o mundo, ela não pode fornecer a muitos indivíduos qualquer forma de recompensa.

Em suma, a WorldCoin basicamente quer criar uma rede de identidade verificada. Ou seja, se você tiver WorldCoin, sua identidade será verificada. Eles literalmente vão escanear seus olhos (através de um dispositivo de orbe) e lhe-dar criptomoedas “de graça”.

Mas você teria coragem de dar sua identidade em troca de 10 dólares?

A WorldCoin afirma que, uma vez que os sistemas sejam aperfeiçoados, eles excluirão seus dados e eles não serão salvos na blockchain. No entanto, todos nós já vimos essa música antes, dizem usuários que fazem alertas sobre o projeto.

“Esta é uma ladeira escorregadia porque se o seu cartão de crédito vazar, você poderá substituí-lo. Se seu rosto vazar, você fará uma cirurgia plástica?”

Worldcoin diz que tem código aberto, mas mente

Apesar de afirmar ser totalmente de código aberto, o protocolo não cumpre essa promessa, de acordo com o site Protos. Na verdade, o fato de alguns repositórios de infraestrutura e especificações não serem publicamente auditáveis torna-o essencialmente fechado.

A Fundação Worldcoin afirmou que planeja “disponibilizar mais código-fonte ao longo do tempo”.

Além disso, o projeto afirma buscar a descentralização, o que é ridículo diante do fato de uma única entidade controlar todas as moedas.

A versão oficial é que a empresa por trás da Worldcoin, a Tools for Humanity, vai transferir o controle para uma organização autônoma descentralizada (DAO) e a Worldcoin Foundation.

Essas entidades terão sede em paraísos fiscais corporativos como as Ilhas Cayman e as Ilhas Virgens Britânicas — destinos irônicos para uma empresa que afirma buscar transparência.

OpenAI, promessas quebradas e financiamento corporativo

Sam Altman testemunhou recentemente perante o Congresso, manifestando seu apoio à regulamentação governamental na indústria de inteligência artificial e afirmando que não tinha envolvimento com a OpenAI.

No entanto, ele deixou de mencionar que a OpenAI, assim como a Worldcoin e seus orbes, inicialmente prometeu ser uma fundação sem fins lucrativos de código aberto dedicada ao avanço da humanidade.

Na realidade, nada disso aconteceu, o que torna ainda mais difícil acreditar que a Worldcoin cumprirá suas promessas e declaração de missão.

O que talvez seja ainda mais preocupante é o fato de que a Worldcoin recebeu mais de R$ 500 milhões em financiamento de capital de risco de empresas como a16z, Coinbase Ventures e Khosla Ventures (além de fontes mais questionáveis, como Sam Bankman-Fried e Three Arrows Capital).

Caso você não esteja familiarizado com as duas últimas, Sam Bankman-Fried é fundador da FTX, corretora de criptomoedas que faliu e deixou milhões de pessoas no prejuízo.

Atualmente, ele está sendo acusado de fraude eletrônica, conspiração, fraude de valores mobiliários e lavagem de dinheiro.

Já a Three Arrows Capital é um fundo de criptomoedas que teve problemas de insolvência e deu calote bilionário em investidores.

O envolvimento dessas empresas com a Worldcoin sugere que a intenção da criptomoeda do criador do ChatGPT provavelmente nunca foi ser totalmente aberta, descentralizada e positiva para o mundo, mas apenas mais uma aposta de capital corporativo na esperança de enriquecer ainda mais os bilionários.

Comunidade critica Worldcoin

Embora a Worldcoin já tenha atraído mais de 2 milhões de usuários em todo mundo com a promessa de dinheiro grátis, usuários mais atentos estão classificando o projeto como uma farsa e alertando que as pessoas devem ficar longe disso.

“Prefiro abandonar a sociedade e ir morar na floresta se esse dispositivo de pesadelo distópico for aplicado para que as pessoas desfrutem dos direitos humanos básicos.”, disse um usuário no Reddit, preocupado com sua privacidade.

“Para mim, não há dinheiro suficiente para vender minha identidade. Minhas impressões digitais, DNA e olhos não estão à venda.”, disse outro.

“Nunca, jamais, forneça seus dados biométricos a nenhuma empresa”, acrescentou outro usuário.

💰 $100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias