Cofundador do Ethereum se diz preocupado com centralização

Sobre o Ethereum passar o Bitcoin, Iorio acredita que “existe uma grande chance disso acontecer”. Como destaque, aponta os diversos casos de uso do Ethereum, bem como a direção em que o projeto está caminhando.

Em conversa com a Kitco News nesta quarta-feira (28), Anthony Di Iorio falou sobre o Merge do Ethereum e as diferenças entre o Proof-of-Work e Proof-of-Stake. Como destaque, o desenvolvedor do Ethereum mostrou-se preocupado com a centralização do projeto.

Para Iorio, a entrada de grandes players atuando como validadores é uma grande preocupação. Afinal, a comodidade que os usuários tem em receber dividendos através de tais plataformas, como exchanges, pode diminuir a descentralização da rede.

Indo além, afirmou que o Ethereum manteve uma postura diferente do Bitcoin nos últimos sete anos. Afinal, a mineração por placas de vídeo era mais acessível a pessoas comuns, e por fim mais descentralizada, do que as ASICs de Bitcoin.

Ideia com o Proof-of-Stake ainda é a mesma, mas há mais riscos

O desenvolvedor do Ethereum explica que a ideia do Proof-of-Stake é a mesma. Afinal, qualquer pessoa tem acesso a tal recurso e sua participação pode ser mais fácil até mesmo em países mais rígidos — como a China, que baniu a mineração de criptomoedas.

Entretanto, um risco deste modelo está associado a entrada de grandes corretoras e outras empresas, já que estas podem oferecer segurança e praticidade aos investidores.

“O que você quer com redes descentralizadas são nós robustos; você quer muitos, alguém que está executando uma tecnologia que as pessoas fazem em qualquer lugar do mundo, participando e ajudando a fortalecer o ecossistema para ser recompensado por fazê-lo”, declarou Anthony Di Iorio.

“Mas não ajuda quando você tem apenas alguns, e isso se torna cada vez mais centralizado.”

Outro ponto observado por Iorio são problemas que ainda não são conhecidos. Afinal, embora o Proof-of-Stake seja utilizado por outras criptomoedas, nenhuma é tão grande quanto o Ethereum, tanto em valor de mercado quanto em seu ecossistema.

“Estou preocupado com entidades como exchanges que estão tendo muita força e a validação que está acontecendo agora, então não é um sistema perfeito”, comentou o desenvolvedor do Ethereum. “Quem sabe pode aparecer coisas que não foram pensadas, levando a riscos maiores.”

Sobre o Ethereum passar o Bitcoin, Iorio acredita que “existe uma grande chance disso acontecer”. Como destaque, aponta os diversos casos de uso do Ethereum, bem como a direção em que o projeto está caminhando.

Vitalik Buterin lança livro sobre Ethereum

Enquanto isso, o maior nome por trás do Ethereum lançou um livro nesta semana. Intitulado Proof of Stake, o livro escrito por Vitalik Buterin conta a história da sua criptomoeda, desde sua criação até a sua última atualização.

“Proof of Stake, o livro (físico e digital) compilando vários escritos que fiz nos últimos 10 anos, finalmente saiu!”

No momento, ainda não existe uma versão em português. Entretanto, o livro já está como os mais vendidos na Amazon americana, ultrapassando outros clássicos como O Padrão Bitcoin.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias

Bitcoin 2024

Últimas notícias