Atualização do Ethereum apresenta problemas, levanta dúvidas e faz preço despencar

Por coincidência ou não, o preço do Ethereum despencou nesta madrugada de quinta-feira (26). Saindo de US$ 1.925 e chegando até os US$ 1.734, esta queda de 10% pode ser um indício de falta de confiança no projeto.

Moeda de Ethereum em fundo vermelho.
Moeda de Ethereum em fundo vermelho.

Prestes a migrar para Proof-of-Stake (PoS), o Ethereum passou por problemas técnicos nesta quarta-feira (25). A Beacon Chain, responsável pela introdução do PoS, teve sete blocos anulados e os desenvolvedores ainda não sabem o motivo exato.

Com isso, é possível que a migração para PoS passe por mais um atraso. Afinal, a imutabilidade das transações depende da estabilidade dos blocos. Em outras palavras, a ‘reorganização’ de blocos é a única maneira de cancelar uma determinada transação.

Talvez pela falta de confiança com o futuro do projeto, o preço do Ethereum despencou 10% nesta madrugada de quinta-feira (26). Portanto, este é um bom indicador de que o mundo está de olho na segunda maior criptomoeda do mercado.

Sete blocos reorganizados no PoS do Ethereum

Usuários e desenvolvedores do Ethereum estão preocupados com a estabilidade do Proof-of-Stake (PoS) após a Beacon Chain anular sete blocos seguidos nesta quarta-feira (25). O grande problema é que isso pode anular transações já confirmadas, levando ao aumento no tempo de espera, por exemplo.

“A Beacon Chain do Ethereum passou por uma reorganização profunda de 7 blocos. Isso mostra que a atual estratégia de testemunho de nós deve ser reconsiderada para resultar em uma cadeia mais estável!”

Seguindo seus comentários no Twitter, Martin Köppelmann da Gnosis afirma que Vitalik Buterin estava muito otimista ao afirmar que o Proof-of-Stake (PoS) apresentaria maior estabilidade a rede. Como exemplo, afirmou que o Ethereum não via reorganizações tão grandes há anos.

Programada para ser lançada em agosto, o PoS do Ethereum pode sofrer mais atrasos. Afinal, é possível que surjam problemas maiores do que este em outros testes já que esta é uma grande mudança, sem tanta provação quanto o Proof-of-Work (PoW).

Desenvolvedores não sabem o motivo

O que parece piorar a situação é o desconhecimento do motivo desta reorganização, que poderia ter sido maior. Respondendo a Köppelmann, o fundador do Ethereum apontou que algumas pessoas já estavam analisando o caso.

“Nesse caso, as equipes dos clientes estão lutando para entender a situação para que possam descobrir o que corrigir nas últimas horas! Já algumas boas hipóteses.”

Até o momento, acredita-se que a reorganização dos blocos não tenha sido um ataque e sim um conflito entre clientes. Ou seja, alguns estavam rodando uma versão diferente de outros, contudo os desenvolvedores já estariam trabalhando em soluções.

Preço do Ethereum despencou

Por coincidência ou não, o preço do Ethereum despencou nesta madrugada de quinta-feira (26). Saindo de US$ 1.925 e chegando até os US$ 1.734, esta queda de 10% pode ser um indício de falta de confiança no projeto.

Quanto a Martin Köppelmann, que levou as discussões às redes sociais, o mesmo demonstrou-se chateado com a atenção recebida, principalmente por aqueles que não se importam com o sucesso do Ethereum.

“A quantidade de atenção que esse tuíte rapidamente recebeu — especificamente de pessoas não interessadas no sucesso do Ethereum me faz quase me arrepender de fazê-lo.”

Vitalik Buterin tentou consolá-lo enquanto também tentava entender a situação.

“Por favor, não se arrependa. A busca da verdade é mais importante do que ‘não dar munição retórica às pessoas erradas’ ou qualquer outra coisa.”

De qualquer forma, o mundo está de olho nesta migração que promete ter grande impacto não só no Ethereum como também em todo mercado de criptomoedas, incluindo em políticas externas que pressionam o setor de mineração.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias