Bitcoin completa 14 anos, com alta de 2.178.035.658%

Nesta terça-feira (3), o Bitcoin completou 14 anos de existência. Caso fosse uma pessoa, seria apenas um jovem, mas que já conseguiu criar suas próprias revoluções.

Mesmo com uma forte queda de 66% em 2022, o Bitcoin continua sendo o 27º maior ativo financeiro do mundo, com US$ 320 bilhões em valor de mercado. Em relação a sua primeira negociação, os números são ainda mais impressionantes. Afinal, o Bitcoin já valorizou 2.178.035.658% desde então, provavelmente sendo o melhor investimento da década.

Nesta terça-feira (3), o Bitcoin completou 14 anos de existência. Caso fosse uma pessoa, seria apenas um jovem, mas que já conseguiu criar suas próprias revoluções.

A primeira delas, ao dinheiro em si. Permitindo transações internacionais e sem censura por um custo quase nulo, fazendo com que bancos, empresas e governos reavaliassem sua postura em relação ao mundo digital.

Além disso, também segue como o principal rival do ouro, reserva de valor mais antiga do mundo, principalmente por conta de sua escassez, divisibilidade, fácil transporte e outros tantos pontos.

Por fim, também acabou gerando uma classe de investimentos completamente nova, as próprias criptomoedas, resultando em diversas novas tecnologias, como blockchains inteligentes, tokens (fungíveis ou não), DeFi, etc. Um verdadeiro pesadelo para reguladores, mas um sonho para investidores.

A primeira transação de Bitcoin

Apesar de seu primeiro bloco ter sido minerado por Satoshi Nakamoto no dia 3 de janeiro de 2009, a primeira negociação de bitcoin ocorreu apenas em outubro daquele ano. Na data, 1.309,03 BTC podiam ser comprados por apenas 1 dólar.

Alternando os valores, isso significa que cada Bitcoin era negociado por 0,00076392 USD. Cotado a US$ 16.638,45 no momento desta redação, isso significa que tal investimento teve um retorno de 2.178.035.658% desde então, transformando 1 dólar em US$ 2,17 bilhões.

No entanto, é difícil imaginar que estes usuários iniciais tenham mantido suas fortunas. Ou seja, é provável que tenham gasto, ou vendido, nos anos seguintes, sem aproveitar as grandes altas do Bitcoin.

Por outro lado, um dos únicos que jamais tocou em suas moedas foi o próprio criador do Bitcoin. No total, estima-se que Nakamoto possua 1,1 milhão de bitcoins, montante suficiente para colocá-lo entre as 100 pessoas mais ricas do mundo. Entretanto, sua identidade ainda é desconhecida.

Principais problemas do Bitcoin são externos

Com mercados formados por entusiastas e não por profissionais, por certo lado o Bitcoin acabou sendo prejudicado por isso. Falências de gigantes como Mt. Gox e, mais recentemente, a FTX, fizeram seu preço derreter enquanto a confiança dos investidores desaparecia (até retornar mais tarde).

Hoje o bitcoin completa 14 anos com 99,98% de tempo operacional, estando 100% funcional nos últimos nove. Portanto, este é mais um motivo para confiar na segurança da rede.

Em relação ao futuro, parece que a maioria dos governos já aceitou que o Bitcoin veio para ficar. Ou seja, as portas estão abertas e avanços como a Lightning Network prometem melhorar ainda mais a experiência dos usuários.

💰 $100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias