Bitcoin é negociado por US $ 73 mil na Nigéria

A moeda nigeriana, a Naira (NGN), vale pouco mais de US $ 0,002 atualmente e até mesmo um senador do país admitiu que a moeda nacional é praticamente inútil ou sem valor.

Siga no
Preço do bitcoin em cada país.
Preço do bitcoin em cada país.

O bitcoin disparou na Nigéria e passou a ser negociado por mais de US $ 73 mil na noite desta quarta-feira (17). O preço da moeda digital está 39% mais caro que no restante do mundo, onde a criptomoeda é negociada na faixa dos US $ 52.000.

Esta é a maior diferença de preço do bitcoin entre países na história, com cada moeda sendo US $ 20.000 mais cara na Nigéria do que em qualquer outro lugar do mundo, de acordo com os dados do Bitcoin Price Map.

A principal corretora da Nigéria, a NairaEX, que tem 130 mil usuários ativos, tem um bitcoin à venda por 25 milhões de Nairas, a moeda da Nigéria. Isso vale aproximadamente US $ 65.000, é o menor preço do bitcoin na corretora, mas ainda é consideravelmente mais caro que no resto do mundo.

Banco Central da Nigéria baniu o bitcoin

O motivo do preço caro no país é a recente proibição que o banco central da Nigéria impôs aos bancos comerciais, exigindo que as instituições financeiras fechem contas de qualquer um que lide com criptomoedas, ou seja, os usuários não podem transferir dinheiro para corretoras ou sacar.

A corretora NairaEX disse que atualmente é incapaz de processar depósitos de Naira para seus clientes utilizando contas bancárias devido à proibição do Banco Central.

Assim, os detentores de bitcoins aparentemente não querem vender suas moedas pelo preço do mercado, isso também está evidente na plataforma P2P Paxful, onde o preço do bitcoin está um pouco mais barato, US $ 62.500, mas ainda 10 mil dólares mais caro que no restante do mundo.

Até mesmo o Tether, criptomoeda com valor estável está sendo negociada por preços mais caros, com cada USDT chegando a valer US $ 1,22, o que demonstra que os nigerianos parecem estar desesperados para colocar as mãos em alguns bitcoins.

Naira

O motivo do bitcoin mais caro é que a inflação na Nigéria saiu do controle, aumentando consideravelmente recentemente em uma velocidade acelerada.

A moeda nigeriana, a Naira (NGN), vale pouco mais de US $ 0,002 atualmente, até mesmo um senador do país admitiu que a moeda nacional é praticamente inútil ou sem valor.

Os nigerianos, portanto, simplesmente não querem trocar seus bitcoins pela Naira, que além de ser considerada agora como inútil, pode perder ainda mais valor.

Bitcoin não é ilegal na Nigéria. Sua posse, transação e todas as atividades são permitidas, pois não houve ato do parlamento para dizer o contrário.

Os bancos que operam na Nigéria, no entanto, receberam ordens de fechar contas de qualquer pessoa ou empresa que negocie criptomoedas.

Quem sai perdendo, então, é a própria Nigéria, seus cidadãos que, com o bitcoin, colocaram o país no mapa. Eles agora provavelmente vão mostrar que o bitcoin não pode ser banido e que o país está a mercê de uma revolução digital.

Uma revolução que, pela primeira vez na história, está sendo travada não com armas ou canetadas, mas com código.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
TrustNodeshttps://trustnodes.com
News on all things Blockchain, Ethereum, IoT, Fintech and Bitcoin.

NFT pode “matar” o Bitcoin? Qual a relação entre ambos?

É provável que muita gente conheça os NFTs, regularmente confundidos com “arte digital”. A ação ganhou força após Stephen Curry, astro da NBA, e...
Plataformas NFT e Ethereum empresas

Empresas listadas na bolsa apostam no mercado de NFT

O crescimento do mercado de NFTs tem quebrado barreiras mais rápido do que outros recursos relacionados a blockchain. Hoje até mesmo grandes empresas, listadas...
Dúvida sobre o Bitcoin ser caçado pela China

Mineradores brasileiros comentam banimento de Bitcoin pela China

A proibição de Bitcoin pela China nos últimos dias abalou o mercado, com muitas pessoas ficando preocupadas com isso, menos dois mineradores brasileiros que...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias