Bitcoin perde posto de criptomoeda mais usada do mundo

Tether assumiu posição de maior volume diário em outubro, enquanto isso o Bitcoin se consolida como reserva de valor.

Siga no
Tether
Tether

Bitcoin é a primeira criptomoeda que o mundo viu, apesar de a moeda digital ser a mais famosa e também a mais valiosa em termos de capitalização de mercado ( $ 340 bilhões), quando o assunto é volume a liderança foi assumida em outubro por uma stablecoin. [Via Decrypt].

A nova líder, a Tether, é uma criptomoeda lastreada em dólar, ou seja, cada Tether (USDT) vale $ 1. A moeda é usada em transações entre corretoras e também como uma forma de “hold”. Como a moeda tem um preço fixo, alguns traders preferem deixar seus fundos em USDT até o dia seguinte, quando voltam a operar.

Essas duas utilidades básicas por si só já respondem por grande parte do volume da moeda, mas em 2020 a adoção do ativo conseguiu um aumento considerável.

A Tether também é utilizada para transferências internacionais por grandes instituições, uma alternativa ao sistema Swift. Até o governo dos EUA usam o ativo para enviar fundos à Venezuela.

De acordo com dados do CoinMarketCap, o volume médio mensal do ativo digital disparou desde janeiro de 2020, nas últimas 24 horas, por exemplo, a Tether tem quase o dobro de volume do Bitcoin, que tem $ 26 Bilhões de volume contra $ 44 bilhões da Tether, o volume é maior que das três maiores criptomoedas juntas, BTC, ETH e XRP.

Tether volume vs bitcoin 10 12 2020
Tether volume vs bitcoin 10 12 2020

O motivo da alta de volume, de acordo com o Decrypt, é que o ativo digital é muito utilizado em transações OTC, 33% do volume da moeda é movimentado na China, quase o dobro do visto na América do Norte (17%).

Em momentos de queda do mercado de criptomoedas vários investidores convertem seus ativos em Tether, uma forma de minimizar perdas.

O propósito da moeda assim como de outras stablecoins é muito claro, o ativo tem objetivo de fornecer liquidez para corretoras de criptomoedas criando um meio mais estável para os preços em relação às moedas fiduciárias.

O rápido crescimento no volume de transações do USDT é certamente uma grande conquista para a Tether, mas para a rede, o crescimento trouxe problemas de lentidão. Uma das soluções para este problema de escalabilidade foi adotar 6 Blockchains diferentes, as transações em Tether agora são processadas pela rede Ethereum, EOS, Liquid, Algorand, Omni e Tron.

A Tether continua crescendo a passos largos, e, de olho neste mercado, o Facebook está preparando sua própria stablecoin, a Diem. Resta saber se a gigante das redes sociais vai conseguir tomar o domínio da Tether.

Outra ameaça ao ativo digital é uma nova lei que pode ser aprovada nos EUA, o STABLE Act, um projeto de lei que quer exigir emissores de stablecoins, como a Tether, adquirirem licenças bancárias e terem aprovação do Banco Central.

Esta também é uma diferença entre a Tether e o Bitcoin. Enquanto a primeira vive de joelhos para regulações e estão sujeitas ao que os reguladores querem, a segunda é descentralizada e resistente a censura.

Por isso um Bitcoin vale R$ 100 mil e um Tether vale R$ 5.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.

Edir Macedo publica vídeo associando Bitcoin com satanás

O líder da Igreja Universal, Edir Macedo, publicou um vídeo onde associa o Bitcoin com a marca da besta. De acordo com o vídeo divulgado...

Coluna do TradingView: Ethereum surpreende com teste na ATH

Após correção de mais de 20% na semana passada, Ethereum reage rapidamente chegando a ensaiar rompimento do topo histórico. Confira o que os analistas...

Dono de corretora de criptomoedas some e deixa 390 mil clientes no prejuízo

Uma importante corretora de criptomoedas da Turquia, chamada Thodex, começou a apresentar problemas em suas operações e em saques, preocupando vários dos seus clientes. A...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias