Corretora da Venezuela permite negociar Bitcoin sem internet

Siga no
Qual o significado de Bitcoin
Qual o significado de Bitcoin

As criptomoedas representam uma forma de liberdade financeira para muitas pessoas, principalmente nos países pobres. Mas o que acontece quando essas pessoas não têm acesso à internet?  Bom, pelo menos na Venezuela a falta de internet não é um obstáculo para pagamentos com criptomoedas.

De acordo com o site Decrypt, a exchange venezuelana Criptolago anunciou um serviço de processamento de transações offline de criptomoedas através de mensagens de texto (SMS), sem a necessidade de conexão com a internet.

De acordo com a corretora, a iniciativa foi lançada como uma resposta ao pedido do presidente Nicolás Maduro de que empresas desenvolvessem sistemas de pagamento paralelos ao tradicional.

No pedido de Maduro foi enfatizado a necessidade de criar um sistema de transações offline compatível com a criptomoeda Petro.

Lembrando que existe um grande esforço por parte do governo venezuelano para conseguir aumentar o uso da Petro. Isso inclui o pagamento de bônus e décimo terceiro usando a moeda, a obrigação de certas empresas de aceitar o token e até mesmo a distribuição como recompensa para os profissionais da saúde do país.

Apesar do foco do governo na sua criptomoeda própria, o Criptolago está estendendo o seu serviço offline para outros tokens listados na plataforma. Isso quer dizer que os venezuelanos poderão fazer transações offline de Litecoin, Bitcoin, Dash e Glufco (criptomoeda criada pelo banco de investimento em criptomoedas da Venezuela.)

Não é necessário a conexão com a internet. No entanto, é preciso ter em mãos um celular com acesso ao sinal de torres comuns. Nesse conceito, é provável que até celulares antigos funcionem com o serviço.

Além das transações em criptomoedas, a plataforma também está permitindo o processamento de operações com a moeda fiduciária do país, o Bolívar.

O uso de criptomoedas na Venezuela

transações offline criptomoedas

A Venezuela é um país que está chamando muita atenção dentro do criptomercado, isso porque, ao passar por uma crise financeira história, ela vem se mostrando um campo de estudos para o criptomercado.

As criptomoedas tiveram um aumento de uso dentro do país, principalmente em relação ao Dash. E, mesmo antes das soluções da Criptolago, os cidadãos do país já estavam realizando transações offline.

Entre as soluções mais populares do tipo está a Dash Text, uma carteira offline via mensagem de textos.

A Dash Text relatou cerca de 6.456 transações offline desde janeiro de 2019. Desse total, 6.105 vieram da Venezuela. Porém, vale notar o quanto esse sistema é pouco utilizado, se compararmos com o número total de transações online.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Senadora Democrata Elizabeth Warren

Senadora dos EUA compara Bitcoin a óleo de cobra

A Senadora Democrata Elizabeth Warren, falou em uma recente entrevista à CNBC que não é contra as pessoas serem livres para investir em Bitcoin,...
Casa a venda por Bitcoin negócio imobiliário

Bitcoin vira garantia em negócio para crédito imobiliário pela primeira vez

Ao tentar obter um crédito imobiliário um credor de uma negociação comprovou ter Bitcoin e conseguiu ter seu financiamento aprovado. Muitas pessoas quando vão ao...
Abilio Diniz, empresário e bilionário brasileiro

O3 Capital, que tem Abílio Diniz como sócio, investe em ETF de criptomoedas

Uma empresa que tem Abilio Diniz como conselheiro investiu em criptomoedas via ETF listado na bolsa de valores brasileira. A aquisição foi feita pela...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias