Donald Trump perdoará o fundador da Wikileaks, diz fonte

O Wikileaks desempenhou um papel importante nos primeiros anos do Bitcoin

Siga no
Fundador do Wikileaks, Julian Assange
Fundador do Wikileaks, Julian Assange

O atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, perdoará o fundador da Wikileaks, Julian Assange, de acordo com um dos primeiros e mais famosos apoiadores de Trump, o pastor Mark Burns.

“URGENTE: Presidente Trump perdoará Julian Assange”

Atualizado:

Após repercussão mundial do tuite o pastor voltou atrás e disse que o suposto perdão pode ser desconsiderado.

Sobre #JulianAssange, tweet inadvertido, fonte ruim, desconsidere!”

Burns é ministro evangélico, candidato político e cofundador da NOW Television Network. Ele não deu mais detalhes para esta revelação, mas uma campanha para perdoar Julian Assange está esquentando.

O legislador democrata Tulsi Gabbard, Pamela Anderson, o parlamentar australiano George Christensen e muitos outros pressionaram o presidente pelo perdão de Assange.

“Por favor, considere perdoar aqueles que, com grande sacrifício pessoal, expuseram o engano e a criminalidade daqueles no estado profundo”, disse Gabbard recentemente referindo-se a Assange.

Julian Assange foi acusado de 17 violações da Lei de Espionagem, que pode levar a 175 anos de prisão.

O Wikileaks desempenhou um papel importante nos primeiros anos do Bitcoin, pois após um bloqueio por serviços financeiros, incluindo Visa e MasterCard, o Wikileaks passou a aceitá-lo para pagamentos em 2010.

Satoshi Nakamoto foi critíco a isso, mas um artigo na PC World especulou que o Wikileaks ajudou o Bitcoin, sendo essa a primeira menção relativamente popular à criptomoeda.

O Wikileaks acabou aceitando Bitcoin para doações, embolsando uma pequena fortuna de cerca de US $ 26 milhões na moeda digital.

Além disso, Assange é um apoiador do Bitcoin, foi ele quem apresentou a moeda digital para Eric Schmidt, o então CEO do Google.

Ele também chamou o Bitcoin de “Occupy Wall street” em 2017, enquanto estava na embaixada em Londres, onde foi preso no ano passado e agora deve ser perdoado, de acordo com o pastor.

Assange está detido na prisão de Belmarsh desde setembro de 2019, ele foi indiciado por 17 acusações de espionagem e uma por uso indevido de computador devido à publicação de documentos secretos de militares americanos há uma década.

A a defesa de Assange argumenta que ele é jornalista e tem direito à proteção da Primeira Emenda por publicar documentos que vazaram e expuseram irregularidades militares dos EUA no Iraque e no Afeganistão.

No início do ano o presidente Trump ofereceu ao fundador da Wikileaks um perdão se ele dissesse que a Rússia não estava envolvida no vazamento de e-mails do partido democrata.

A oferta, segundo os advogados, foi feita por meio de Dana Rohrabacher, agora ex-deputado republicano.

“Rohrabacher foi ver Assange e, seguindo as instruções do presidente, ofereceria perdão ou alguma outra saída se Assange dissesse que os russos não tinham nada a ver com os vazamentos, disse Edward Fitzgerald, advogado da Julian Assange.

Provavelmente o acordo foi feito e poderemos ver Assange em liberdade em alguns dias.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
TrustNodes
TrustNodeshttps://trustnodes.com
News on all things Blockchain, Ethereum, IoT, Fintech and Bitcoin.
Meme dogecoin que circula nas redes.

Mercado cripto sofre uma das maiores quedas já vistas, Dogecoin sobe

As últimas 24 horas foram um pesadelo para alguns investidores em criptomoedas. A primeira moeda a sentir a queda foi o Bitcoin, que perdeu mais...
Mina carvao

Taxa de hash do Bitcoin cai após acidente em mina de carvão na China

O hashrate do Bitcoin caiu cerca de 40% nas últimas 24 horas, de mais de 180 petahashes por segundo para cerca de 105 Ph/s....

Bitcoin desaba com desligamento de mineradoras chinesas e preocupações regulatórias

O Bitcoin despencou mais de 15% neste domingo (18), para cerca de US $ 51 mil, depois de ter alcançado um marco de US...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias