Facebook vai permitir alguns anúncios de criptomoedas

-

Siga no
Anúncio

Alguns anúncios de criptomoedas serão permitidos no Facebook. Nessa terça-feira a empresa decidiu reverter sua proibição contra os anúncios com algumas condições. Primeiro, os anunciantes devem ser pré-aprovados. Em segundo lugar, não serão permitidos anúncios que promovam ofertas iniciais de moedas, muitas vezes relacionadas a fraudes.

O Facebook originalmente anunciou a proibição em janeiro, perto do auge das criptomoedas. Segundo a empresa, alguns dos anúncios enganavam potenciais investidores com alegações de “sem risco”. Alguns anuncios mencionavam o uso de fundos de aposentadoria para comprar Bitcoin, que desde então caiu de US $ 11.000 para US $ 6.100.

“Nos últimos meses, analisamos a melhor maneira de refinar essa política – permitir alguns anúncios e, ao mesmo tempo, trabalhar para garantir que eles sejam seguros”, disse o Facebook em um post no blog, explicando sua decisão de suspender a proibição.

Anúncio

“Nem todos que querem anunciar poderão”, acrescentou a empresa. Para se inscrever, os anunciantes devem primeiro apresentar um pedido, com documentação oficial, incluindo licença da empresa e se o candidato foi listado em qualquer bolsa de valores pública.

Apesar das limitações, a mudança abre uma porta para os provedores de criptomoedas promoverem seus serviços e produtos em uma plataforma mainstream, em um momento em que o interesse pelo mercado está esfriando

Outros sites importantes, como Twitter e Google, têm restrições rígidas contra os anúncios de criptomoeda.

O Facebook reverteu parcialmente a proibição quando a empresa se interessou pela tecnologia blockchain, a espinha dorsal de muitas das crenças populares no mercado. No mês passado, o executivo do Facebook, David Marcus, anunciou que estava formando uma pequena equipe para explorar “como alavancar blockchain no Facebook, começando do zero”.

No início deste ano, a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) fechou uma oferta inicial de moeda de uma empresa do Texas chamada AriseBank.

AriseBank foi acusado de confiar em endossantes de celebridades como o boxeador Evander Holyfield e nas redes sociais para enganar investidores em US $ 600 milhões de sua meta de US $ 1 bilhão para uma moeda que ele chamou de “AriseCoin”.

As ofertas iniciais de moedas – usadas por algumas startups para levantar bilhões de dólares – ainda não poderão anunciar no Facebook.

O governo britânico exigiu no início deste ano regulamentação global de moedas virtuais controversas, como o bitcoin.

Bitcoin e formas semelhantes de dinheiro virtual são independentes de governos e bancos e usam a tecnologia blockchain, onde moedas digitais criptografadas são criadas por supercomputadores.

A moeda virtual não é regulada por nenhum banco central, mas é supervisionada por uma comunidade de usuários que tentam se proteger contra a falsificação.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Mateus Nunes
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Analista de Sistemas, aprendiz e entusiasta de criptomoedas e blockchain. Sugestão de pauta: [email protected]

Leia mais

Leia mais sobre:

Últimas notícias

Possível diretor da CVM destaca Bitcoin aquecido

Um possível novo diretor da CVM destaca que o Bitcoin atravessa um momento em 2020 bem aquecido e a autarquia está de olho. O...

PayPal entra no mercado de criptomoedas

O gigante dos pagamentos PayPal anunciou que vai entrar de vez no mercado de criptomoedas, a empresa vai permitir que seus clientes comprem, vendam...

PF pode usar blockchain para identificar pessoas

Uma ferramenta blockchain que identifica pessoas será apresentada para delegados da PF, que pode começar a usar solução caso interesse. Na tarde desta quarta-feira (21),...