Justiça não encontra dinheiro nas contas da GenBit e determina bloqueio de R$ 1,2 milhão dos sócios

Pedido foi feito por seis investidores do interior de São Paulo

Siga no
Nivaldo Gonzaga dos Santos e seu filho, Gabriel Tomaz Barbosa. Ambos são responsáveis pela GenBit.

A Justiça de São Paulo não encontrou dinheiro nas contas da Gensa Serviços Digitais e do Grupo Tree Part, que controlam a exchange GenBit. Por isso, determinou o bloqueio de R$ 1,2 milhão das contas dos sócios do conglomerado.

Foram bloqueados recursos de Nivaldo Gonzaga dos Santos, Gabriel Tomaz Barbosa, Isaias da Silva, Davi Maciel de Oliveira e Jose Newton Esteves Garcia.

Os pedidos de bloqueio foram feitos por seis clientes residentes nas cidades de Barretos e Limeira, no interior paulista. Eles investiram dinheiro na GenBit, que promete rendimentos de 15% ao mês em cima do capital investido e oferece até chocolate na hora de conquistar clientes, mas não conseguiram recuperar os valores. Cada um moveu uma ação.

Em nota, a GenBit informou que não há ação alguma que tenha resultado em bloqueio deste montante e que “todas as decisões judiciais existentes são de natureza inicial — isto é, sem a análise profunda de todo o contexto da empresa e dos documentos existentes”.  (veja a íntegra no final desta reportagem). 

Recurso foi encontrado em apenas uma empresa do grupo

Um dos casos é de uma investidora que depositou R$ 106,1 mil na Genbit entre abril e agosto deste ano, com a promessa de receber pouco mais de R$ 15 mil por mês ao longo de três anos. O total que deveria ser pago a ela seria de R$ 532,7 mil.

No final de novembro, a Justiça determinou o bloqueio de todo o valor devido à investidora nas contas do grupo, mas só conseguiu encontrar R$ 137 mil em uma empresa do conglomerado.

Por esse motivo, o advogado Rodrigo Ivanoff, que defende a vítima, decidiu pedir o bloqueio do valor restante – R$ 395,7 mil – das contas dos sócios.

“Entrei com pedido de desconsideração da personalidade jurídica (medida que determina que os sócios respondam pelas dívidas da empresa) e a Justiça acatou o pedido”, disse o advogado, que defende outros clientes com recursos presos na empresa.

A decisão, que é de primeira instância, foi proferida pelo juiz Carlos Fakiani Macatti.

“Com fundamento nos Arts. 300 e 301, do nCPC, DEFIRO o ARRESTO online pelo Sistema BacenJud de eventuais aplicações e saldos financeiros titulados pelo(a)(s) executado(a)(s) (…) no montante de R$ 395.762,49.”, diz trecho da sentença.

GenBit tentou reverter decisão, mas Justiça negou

No caso do bloqueio dos R$ 532,7 mil, a GenBit tentou reverter a decisão na Justiça, mas o pedido foi negado. O desembargador Soares Levada, da 34ª Câmara de Direito Privado, informou na sentença que o motivo da negativa seria a “falta de demonstração da probabilidade de provimento do recurso”.

Justiça determina bloqueio de dinheiro em outras ações

As outras ações em que a Justiça já aceitou o pedido de bloqueio de recursos dos sócios são semelhantes. Três tramitam em Barretos, com valores de causa R$ 154 mil, R$ 135 mil e R$ 131 mil, e duas em Limeira, cada uma pedindo devolução R$ 135 mil.

Nas decisões, os magistrados justificaram a autorização do bloqueio afirmando que existe risco de não reparação de perdas.

“O risco de dano irreparável ou de difícil reparação é presumido, diante do fato de que ao realizar o pedido de saque junto à plataforma da requerida, esta não se efetiva. Assim, defiro a tutela de urgência com o fim de determinar o arresto on-line pelo sistema BACENJUD de eventuais aplicações e saldos financeiros porventura existente em conta corrente ou aplicações em nome dos requeridos até o montante descrito na inicial”, diz trecho de uma das sentenças.

Vale lembrar que só na Justiça de São Paulo a GenBit, que nunca teve autorização da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) para ofertar contratos de investimento coletivo, responde a pelo menos 300 ações. Além disso, na semana passada o Ministério Público do Estado de São Paulo entrou com uma ação civil pública contra a empresa pedindo o bloqueio de R$ 1 bilhão.

Veja a íntegra da nota da GenBit:

Sobre a reportagem “Justiça não encontra dinheiro nas contas da GenBit e determina bloqueio de R$ 1,2 milhão dos sócios”, é preciso esclarecer não há ação alguma que tenha resultado em bloqueio deste montante. Cabe frisar que todas as decisões judiciais existentes são de natureza inicial — isto é, sem a análise profunda de todo o contexto da empresa e dos documentos existentes. A GenBitt está entre as maiores empresas do país que possibilitam acesso ao mundo dos ativos digitais. Dentre seus clientes, 97% dizem estar satisfeitos com os serviços. Todos eles estão com os ativos digitais adquiridos devidamente seguros, registrados em plataforma blockchain e em total cumprimento aos contratos firmados. Alguns poucos clientes — e isso acontece em qualquer outra atividade empresarial — possuem discussões na Justiça, pois alguns não compreenderam que dificuldades existem quando ocorre a desvalorização dos ativos que adquiriram, tanto é assim que, quando os ativos digitais tinham alta valorização no mercado e rápida liquidez, as Exchanges eram as empresas da vez. A GenBit adquiriu os ativos digitais, registrou-os e estes estão disponíveis aos clientes e todos os contratos estão cumpridos. A GenBit acredita na justiça e trabalha arduamente para continuar a ser uma empresa cumpridora de suas obrigações e, acima de tudo, uma empresa séria e transparente.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
Vista do teatro AMC Empire em Manhattan cinema Bitcoin

“Paguem com qualquer criptomoeda, mas por favor, voltem aos cinemas”, diz maior rede de...

A rede de cinemas AMC, a maior do mundo no setor, já anunciou anteriormente que pretende aceitar Bitcoin na compra de ingressos para os...
Imagem de Dólar e Bitcoin fundos

Criador de Fundo de Hedge com Bitcoin é condenado a sete anos de prisão

O criador de dois fundos de hegde com Bitcoin, Virgil Sigma e do VQR, que operavam em Nova Iorque, foi condenado pela justiça dos...

“Bitcoin salvará as pessoas da cultura do cancelamento”, diz New York Times

James Poulos, um dos colunistas convidados do New York Times, publicou no famoso veículo de notícias um ensaio onde explica como o Bitcoin pode imunizar...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias