Minerar Bitcoin custa 23 vezes menos do que minerar o ouro

Siga no

Um tweet revela que minerar Bitcoin pode custar até 23 vezes menos que minerar o ouro. De um lado temos a criptomoeda mais famosa do mercado, e de outro temos o mineral mais cobiçado do mundo. O que os dois possuem em comum são a sua alta capacidade de reserva de valor. No caso do “ouro digital”, obter a criptomoeda pode ser bem menos oneroso que procurar o ouro através da exploração mineral.

Quando a maioria das pessoas escutam a expressão “minerar o Bitcoin (BTC)” já imaginam a criptomoeda sendo lapidada, assim como acontece com pedras preciosas. Porém, a mineração da moeda digital é realizada totalmente online, dependendo apenas do poder computacional de equipamentos computacionais.

Mineração de ouro custa US$ 105 bilhões anualmente

Segundo a publicação, somente para minerar o ouro são gastos cerca de US$ 105 bilhões na operação todos os anos. Além disso, as informações do tweet mostram que na mineração do ouro são utilizados até 475 milhões de GJ (Gigajoule).


Por outro lado, a mineração de Bitcoin custa bem menos que isso. Segundo a apuração publicada na internet, para minerar a criptomoeda são gastos apenas US$ 4,5 bilhões anualmente. Enquanto isso, o Bitcoin utiliza em sua mineração apenas 183 milhões de GJ.

Minerar o Bitcoin (BTC) é mais barato que reciclar o ouro

A publicação também trouxe também o custo estimado com a manutenção de outros fundos de valor. De acordo com a publicação, até mesmo a reciclagem do ouro é mais cara que a mineração do Bitcoin (BTC) de acordo com o perfil Asimow no Twitter. A pesquisa ainda apontou que sistemas bancários, papel-moeda e até mesmo governos são mais onerosos que o processo de mineração do Bitcoin (BTC).

O Bitcoin e o ouro são as reservas de valor mais cobiçadas nos últimos anos. O Ouro com sua alta capacidade de valorização pode ver o seu reinado ser perdido para o Bitcoin (BTC). Em alguns casos, especialistas preveem que a criptomoeda deverá ultrapassar o ouro em todo o mundo em relação a sua usabilidade como reserva de valor.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Paulo Carvalho
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".
Departamento de Tesouro dos Estados Unidos

Departamento do Tesouro dos EUA quer ferramenta para rastrear Bitcoin

A agência dos Estados Unidos responsável pela implementação de sanções contra empresas, parte do Departamento do Tesouro, quer uma ferramenta capaz de rastrear o...
Polícia investiga negócio de criptomoedas no ES

Corretora cripto é alvo de operação policial por fraude bilionária

A polícia da Coreia do Sul realizou uma operação em diversos escritórios de uma corretora de criptomoedas após a empresa ter sido acusada de ser...
Criptomoeda Ethereum mãe do DeFi

Banco Central dos EUA elogia Ethereum e inovação com DeFi

O Banco Central dos Estados Unidos de St. Louis publicou um artigo elogiando as inovações da plataforma Ethereum. Ao criar aplicações bancárias com tokens,...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias