Pena para quem promove Pirâmide Financeira ficará maior

-

Siga no
Anúncio

O Senador Flávio Arns (REDE-PR) lançou em 2019 uma proposta para criminalizar as pirâmides financeiras que atuam no Brasil. Caso seja aprovado, a pena para quem promove uma pirâmide financeira poderá ficar muito maior.

De fato, o projeto está parado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado. O Projeto de Lei n° 4233, de 2019 visa acrescentar no Código Penal brasileiro o crime de pirâmide financeira.

Atualmente, um golpista que atua com estes esquemas, poderia pegar cerca de dois anos de prisão, dependendo do julgamento do juiz. Com a regulamentação, os magistrados terão mais propriedade jurídica para enquadrar os fraudadores em penas maiores.

Anúncio

Além disso, as penas poderão ter multas aplicadas, uma forma de endurecer ainda mais as penas aos responsáveis por esquemas fraudulentos. Em 2019, as pirâmides financeiras com criptomoedas causaram enormes problemas no Brasil, manchando a imagem do Bitcoin, moeda digital que teve seu nome associado a inúmeros golpes.

Ano começou com lembrança de que pena para pirâmide financeira ficará maior em breve

A Conexão Senado, rádio do Senado Federal brasileiro, colocou em sua programação do último dia 3 de janeiro uma lembrança importante. Isso porque, foi ao ar uma reprise de uma entrevista com o senador Flávio Arns (REDE-PR).

Na entrevista, o criador do projeto de lei que visa regulamentar a pena para quem cria pirâmide financeira foi o maior foco. Segundo Arns, o crime de pirâmide tem assolado o Brasil, com casos famosos como Unick Forex, Boi Gordo, Telexfree, Kriptacoin e o “Rei do Bitcoin”.

Arns lembrou que quando uma empresa que oferecia rendimentos milagrosos atua, ela está enganando as pessoas. Não existem rendimentos no mundo de 5%, 10%, 15% ao mês garantido, lembrou Arns.

São centenas de milhões de reais que são perdidos pela sociedade, e no Brasil está se tornando uma coisa mais corriqueira

O senador lembrou que muitas vezes as pirâmides financeiras utilizam o nome de iniciativas sérias, como o Bitcoin, criptomoedas e criptoativos. Os ganhos para quem cria tais esquemas dariam lucros astronômicos para os líderes. Com o tempo, eventualmente, somem com o dinheiro dos investidores.

Nos Estados Unidos a pena já é grande, no Brasil ficará maior

O senador alertou que nos EUA a pena para quem executa pirâmide financeira já é alta. Por exemplo, o golpista norte-americano Bernard Madoff teve uma pena de 150 anos, dada de acordo com a lei do país.

A dificuldade de punir os responsáveis poderiam ser de seis meses a dois anos no Brasil. Com o novo projeto de lei, fica tipificado o crime de pirâmide financeira, que poderia chegar de oito a doze anos mais multa.

O senador afirmou que o projeto deverá ser aprimorado e deverá ser aprovado o mais rápido possível. Flávio Arns, ainda em agosto de 2019, lembrou que a sociedade brasileira necessita deste projeto de forma urgente.

Para Flávio, além da pena ser maior em relação a golpes com pirâmide financeira, também devem ser aumentados os debates de prevenção. Por fim, Flávio alerta que ao se deparar com esquemas que prometem lucros, a população deve denunciar o caso para a polícia imediatamente.

Vamos atrás dessa turma aí que quer enriquecer as custas do povo

Escute a entrevista original, realizada em 16/08/2019 no link abaixo:

Tramita no Congresso projeto para regulamentar as criptomoedas

No Congresso tramita também um projeto para regulamentar as criptomoedas no Brasil. O Projeto de Lei 2060/19 prevê regulamentação também contra pirâmides que atuam usando o nome das criptomoedas.

Especialistas em criptomoedas ouvidos pelo Livecoins em 2019, se mostraram favoráveis ao projeto. Isso porque é uma maneira de filtrar os esquemas fraudulentos dos sérios.

No início de 2020, um economista afirmou que o Bitcoin é um esquema de pirâmide financeira. Tal julgamento foi certamente enviesado pelos inúmeros golpes que tem sido aplicados no mundo e que utilizam o nome da moeda digital.

No Brasil, a Polícia Federal já investiga inúmeros casos, com líderes na mira da PF para possíveis prisões. Em resumo, ainda que o Senado Federal esteja discutindo o aumento das penas e regulamentações, prisões tem sido executadas, dia após dia.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Cristo Redentor, símbolo no Brasil (Rio de Janeiro), e Bitcoin (BTC Blockchain)

Brasil desenvolve com blockchain uma identidade descentralizada

O Brasil caminha rumo às novas tecnologias e já desenvolve com uso da blockchain um novo projeto. Chamada de identidade descentralizada, a solução promete...
Sequestro envolvendo Bitcoin e criptomoedas

Polícia desarticula sequestro que pedia Bitcoin pelo resgate de mulher

Um sequestro de uma mulher no Ceará, que pedia R$ 1 milhão em Bitcoin como resgate, foi desarticulado pela polícia civil em 12 horas....
Estátua da Justiça

Justiça bloqueia do Grupo SAF mais de R$ 400 mil após suspeitas de pirâmide

Um novo negócio suspeito de operar um esquema de pirâmide financeira recebeu atenção da justiça nos últimos dias. Isso porque, a justiça do Distrito...

Últimas notícias

Polícia desarticula sequestro que pedia Bitcoin pelo resgate de mulher

Um sequestro de uma mulher no Ceará, que pedia R$ 1 milhão em Bitcoin como resgate, foi desarticulado pela polícia civil em 12 horas....

Justiça bloqueia do Grupo SAF mais de R$ 400 mil após suspeitas de pirâmide

Um novo negócio suspeito de operar um esquema de pirâmide financeira recebeu atenção da justiça nos últimos dias. Isso porque, a justiça do Distrito...

Uniswap dispara 270% com distribuição de 400 tokens por usuários

O valor total bloqueado (TVL – de Total Value Locked a inglês) na corretora descentralizada Uniswap disparou mais de 270%, de R$ 2.7 bilhões...