Rumor: Polícia invade escritório da Binance em Xangai

Binance nega. Diz ser alvo de fake news.

-

Siga no
Carro de Polícia
Carro de Polícia
Anúncio

A polícia teria invadido o escritório da Binance em Xangai, isto é, segundo fontes do site The Block Crypto.

A invasão teria relação com uma suposta investigação do governo de Xangai com as atividades do setor de criptomoedas no país.

Ainda segundo as informações, quando a polícia invadiu o escritório, de 50 a 100 funcionários estavam trabalhando no local, incluindo diversos executivos.

Anúncio

A Binance já havia deixado claro a sua intenção de retornar ao mercado chinês nos últimos meses.

Governo de Xangai investiga empresas de criptomoedas

O escritório da Binance em Xangai, que já hospedou alguns dos principais executivos da empresa, fechou abruptamente suas portas, forçando os funcionários a trabalhar remotamente ou a se mudarem para Cingapura, disseram várias fontes próximas ao assunto ao The Block.

Vale ressaltar também que o próprio presidente da China afirmou que quer tornar o país um líder na tecnologia Blockchain. A China, que já foi um dos principais mercados de Bitcoin do mundo, proibiu as corretoras de operarem legalmente no país, forçando a diversas empresas mudarem suas sedes no ano passado.

Hoje, a China vive um forte volume de negociação P2P (peer-to-peer) devido a procura de investidores por ativos alternativos, uma vez que é mais difícil de obter, por exemplo, acesso a investimentos em dólares. Com a limitação de saída de capital, o governo tenta assim, controlar a fuga de capitais do país.

O Bitcoin tem se mostrado uma alternativa de grande valor não só na China, mas como em países que enfrentam outros problemas e crises como a Venezuela e Argentina.

Teria sido esse o motivo da queda do Bitcoin recente?

Reaquecendo o debate sobre um mercado descentralizado, alguns especuladores acreditam que o evento pode ter desencadeado uma queda do Bitcoin nos mercados.

Mas olhando de perto, isso só seria possível se a Binance fosse obrigada a liquidar suas posições em BTC, o que ainda não parece ser algo plausível, diante das poucas informações disponíveis sobre a invasão da Polícia a seu escritório.

Binance nega que polícia tenha invadido escritório

Em resposta ao Livecoins, a Binance enviou a seguinte nota:

O time da Binance é formado por um movimento global de pessoas que trabalham de forma descentralizada, aonde quer que estejam no planeta. A Binance não tem escritório fixos nem em Xangai nem em qualquer lugar na China. Logo, não houve nenhum tipo de invasão policial.

A Binance tem grande respeito pelas regulações e políticas que visam combater golpes e fraudes em nome de criptomoedas ou blockchain. Vamos sempre trabalhar próximos de governos que buscam proteger usuários e o crescimento da indústria do blockchain.

Recentemente tem havido um crescimento de artigos negativos e maliciosos contra a Binance na China. Não damos muita atenção pra isso, preferimos continuar ajudando a construir soluções e desenvolver o mercado de cripto, alertando para o cuidado para que tenham cuidado diante de artigos e conteúdos do tipo. Essas notícias não vão afetar as operações da Binance ou nossa estratégia para o crescimento da indústria de criptomoedas e blockchain.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.

Leia mais

Leia mais sobre:

Últimas notícias

Brasileiro é acusado de fraudar programa de recompensas de criptomoeda

Um brasileiro foi acusado de ter fraudado um programa de recompensas da criptomoeda Monero, na acusação, Everton Melo teria copiado a análise de outro...

Possível diretor da CVM destaca Bitcoin aquecido

Um possível novo diretor da CVM destaca que o Bitcoin atravessa um momento em 2020 bem aquecido e a autarquia está de olho. O...

PayPal entra no mercado de criptomoedas

O gigante dos pagamentos PayPal anunciou que vai entrar de vez no mercado de criptomoedas, a empresa vai permitir que seus clientes comprem, vendam...