Quem está por trás da última alta do Bitcoin?

Instituições? Os millennials? Adoção?

Siga no

Com o Bitcoin valendo US$ 10 mil novamente e uma confirmação de que o mercado de alta finalmente está de volta, começa o debate sobre o que exatamente está por trás desse raly.

Muitas pessoas estão sugerindo que as grandes instituições que estão entrando no mercado pode ser a explicação mais provável.

O analista de criptomoedas Peter Brandt, que previu recentemente que o preço do Bitcoin poderia chegar em US $ 100 mil antes de um possível mercado de baixa começar, destacou que a geração do milênio (millennials) poderia ser a verdadeira razão da recente alta. 

Ele fez uma referência ao “Obnoxious Twitter Millennial Index (OTMI)”, que supostamente sugere que este grupo demográfico está agora voltando ao mercado de criptomoedas.

Alguns analistas discordam dessa informação e acreditam em outros dados. Uma análise das buscas atuais do Google por “comprar Bitcoin” mostra que o interesse pelo termo é aproximadamente o mesmo de cerca de um ano atrás, e não aumentou muito nos últimos meses com o preço subindo, então o investimento por pessoas novas no mercado não mudou muito.

Além disso, os milenais não possuem muito dinheiro para empurrar o Bitcoin para cima. Como muitos outros, o trader popular @MoonOverlord sugeriu que um aumento no volume de negociações das instituições é a explicação mais plausível.

Aumento da adoção: 20% das pessoas em 22 países do mundo possuem Bitcoin

Um novo estudo da empresa de segurança Kaspersky revelou que até 20% das pessoas em todo o mundo possuem Bitcoin e outras criptomoedas, isso revela um pouco mais sobre o progresso da adoção em massa.

Há dois fatos imutáveis ​​na indústria de criptomoedas, 1: os mercados são inconstantes e 2: O Bitcoin é escasso. Este último, no entanto, não é freqüentemente percebido por muitos, com os principais meios de comunicação e os médios igualmente escolhendo focar no primeiro – particularmente como uma razão para não ter criptomoedas.

No entanto, isso pode estar mudando à medida que mais e mais pessoas ao redor do mundo aparentemente optam por comprar criptomoedas.

De acordo com a Kaspersky, que conduziu uma pesquisa que perguntou a 13.434 pessoas em 22 países ao redor do mundo se elas já haviam comprado criptomoedas.

O resultado mostrou que 19% dos entrevistados possuíam criptomoedas em algum momento, um número bastante expressivo, devido aos conceitos errados da indústria. Obviamente, o outro lado disso significa que 81% dos entrevistados não compraram criptomoedas, revelando que o setor ainda está bastante engatinhando (e pode crescer muito).

14% dos que não possuem criptomoedas disseram que gostariam de comprar no futuro.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Analista de Sistemas, entusiasta de criptomoedas e blockchain. Tradutor do site Bitcoin.org Sugestão de pauta: mateus@livecoins.com.br
Casa a venda por Bitcoin negócio imobiliário

Bitcoin vira garantia em negócio para crédito imobiliário pela primeira vez

Ao tentar obter um crédito imobiliário um credor de uma negociação comprovou ter Bitcoin e conseguiu ter seu financiamento aprovado. Muitas pessoas quando vão ao...
Abilio Diniz, empresário e bilionário brasileiro

O3 Capital, que tem Abílio Diniz como sócio, investe em ETF de criptomoedas

Uma empresa que tem Abilio Diniz como conselheiro investiu em criptomoedas via ETF listado na bolsa de valores brasileira. A aquisição foi feita pela...
Pessoa guardando Bitcoin em carteira

Regulação fechando o cerco contra corretoras faz investidores sacarem US$ 2,5 bi em bitcoin...

Após a crescente pressão de regulamentação sobre corretoras do mercado de criptomoedas, investidores de Bitcoin seguem enviando seus saldos para carteiras seguras. A análise foi...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias