Senadora quer tornar Bitcoin moeda de curso legal no México

Enquanto os EUA possuem Elon Musk, homem mais rico do mundo, como referência na defesa das criptomoedas, o México conta com o apoio de Ricardo Salinas Pliego, terceiro homem mais rico do país.

Indira Kempis, senadora do México. Fonte: Twitter/Reprodução.
Indira Kempis, senadora do México. Fonte: Twitter/Reprodução.

Inspirada por El Salvador, primeiro país a adotar o Bitcoin como moeda legal, a senadora mexicana Indira Kempis deseja que o México siga pelo mesmo caminho. Seu principal objetivo é aumentar a inclusão financeira em seu país.

Em entrevista ao Diario El Salvador, Kempis conta estar interessada no Bitcoin há anos conforme conhece várias pessoas que trabalham com esta criptomoeda. Dando mais detalhes, afirma que além de empreendedores e tecnólogos, também conversa com amigos que entendem bastante do assunto.

Com isso, agora a missão da senadora é levar o Bitcoin para dentro da política. Seu objetivo final é permitir que todos mexicanos possam trabalhar com a maior criptomoeda do mundo.

Senadora do México inspirada por El Salvador

Na última semana, a ministra do Turismo de El Salvador, Morena Valdez, anunciou que o turismo no país cresceu mais de 30% após a aprovação da Lei do Bitcoin no país.

Uma destas turistas foi a senadora mexicana Indira Kempis que, sem duvida alguma, tomou a atitude de El Salvador como exemplo. Em resposta sobre como foi a experiência de sua visita, a senadora afirmou que o país caribenho está se convertendo no centro mais importante do mundo em relação ao Bitcoin.

Além disso, através de suas redes sociais é possível encontrar os motivos que a levaram a defender o Bitcoin. Dentre eles está a inclusão financeira fornecida pela criptomoeda, visto que só é preciso um celular e conexão com a internet para ter acesso a este sistema.

“Inclusão financeira”

Desta forma, Kempis apresentará uma proposta de lei ao senado do México para tornar o Bitcoin moeda legal também em seu país. Embora note que seja um processo longo, a senadora fez questão de lembrar que é preciso começar por algum lugar e também começar a pensar no futuro e não apenas no passado.

“Não há como voltar atrás com o bitcoin. O melhor legado que podemos deixar como legisladores para o nosso futuro é esse.”

Por fim, Kempis também nota que, embora já vivamos em um mundo digital, 70% dos salvadorenhos não tinham acesso a serviços bancários antes do Bitcoin. Sendo este de grande ajuda para tais pessoas.

Cada vez mais pessoas estão abraçando o Bitcoin

Enquanto os EUA possuem Elon Musk, homem mais rico do mundo, como referência na defesa das criptomoedas, o México conta com o apoio de Ricardo Salinas Pliego, terceiro homem mais rico do país.

Já em questões legislativas, nesta semana políticos da Califórnia, nos EUA, também estão querendo que o Bitcoin torne-se uma moeda legal em seu estado.

Do outro lado do mundo estão Rússia e Ucrânia, países a beira de um conflito armado, também estão de olho nas criptomoedas. Enquanto a Rússia esta tentando criar leis para regular o setor, a Ucrânia já se antecipou e legalizou o Bitcoin e outras criptomoedas.

Visto isso, parece apenas questão de tempo até que o Bitcoin torne-se uma realidade cada vez mais comum em todos os países, inclusive aqui no Brasil onde nesta terça-feira (22) o Senado Federal aprovou a regulação das criptomoedas.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias