Aplicativo na Google Play rouba criptomoedas de usuários

Siga no

O Google descobriu um malware responsável pelo roubo de criptomoedas em smartphones. O ataque acontecia através de um aplicativo disponível na Google Play. Com milhões de usuários que utilizam o sistema Android em seus smartphones, o ataque poderia ter feito milhares de vítimas em todo o mundo.

Segundo o Google, uma ferramenta maliciosa estava se passando pelo MetaMask. Dessa forma, os usuários não poderiam saber que estavam sendo atacados, já que muitos pensaram que era original o aplicativo descentralizado oferecido na plataforma Google Play. Sendo assim, o malware tentou fazer diversas vítimas através desse aplicativo, roubando criptomoedas de investidores que acessam suas contas através de smartphones.

Ataque de malware aconteceu através de aplicativo da rede Ethereum

O MetaMask é o aplicativo descentralizado (D’App) mais antigo em operação da rede Ethereum. Com o ataque, diversas informações podem ter sido acessadas pelos criminosos que aplicaram o golpe. Por outro lado, o ataque não afeta diretamente a rede Ethereum. O aplicativo MetaMask possui completa autonomia, mesmo funcionando através da blockchain da rede da segunda maior criptomoeda do mercado atualmente.

O ataque foi descoberto pelo Google recentemente que decidiu excluir o aplicativo. A descoberta só foi possível graças ao comunicado da ESET à empresa. Na última sexta-feira (8), a empresa especialista em segurança na internet publicou um comunicado sobre a descoberta. Desse modo, foi através da empresa que o Google pode identificar o problema, que roubava dados de usuários em busca de acessar carteiras contendo criptomoedas.

Aplicativo MetaMask já foi atacado por criminosos outra vez

Existem diversos tipos de ataques envolvendo o roubo de criptomoedas. Cada vez mais hackers se especializam nesse tipo de crime. De exchanges à criptomoedas, várias empresas já foram atacadas, inclusive a rede Ethereum. Contudo, esse não foi o primeiro ataque sofrido pelo aplicativo Metamask.

Um dos primeiros problemas enfrentados pelo aplicativo aconteceu em julho de 2018. Após a versão original do Metamask ser retirada do Google Play, vários aplicativos falsos foram disponibilizados na plataforma. Isso fez com que usuários acessam os aplicativos maliciosos acreditando que aquela aplicação fosse a verdadeira. Segundo uma verificação do próprio aplicativo, essa confusão aconteceu de forma acidental e teve o envolvimento de desenvolvedores do Google.

Em busca de criar mais segurança para seus usuários, o MetaMask decidiu lançar uma aplicação móvel em novembro de 2018. Porém, esse aplicativo foi o que recebeu o recente ataque.

Segundo a ESET, o ataque envolvendo o MetaMask aconteceu através da modalidade “clipper”. Os criminosos acessavam dados dos usuários de contas envolvendo a criptomoedas Ethereum (ETH). Enquanto os usuários realizavam operações, rooubo de chaves privadas e até mesmo alterações em endereços de transferências podiam ser realizados através do ataque. Endereços envolvendo transações de Bitcoin (BTC) também podem ter sofrido com a invasão do aplicativo MetaMask da rede Ethereum.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Paulo Carvalho
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".
Mulher com aplicativo de Bitcoin comprar e vender

Ex-presidente da CVM faz alertas sobre compra de Bitcoin por empresas de capital aberto

A compra de criptomoedas por grandes empresas continua a chamar atenção do mercado financeiro, com algumas se questionando se elas podem ou não comprar...
Empresa Suzano Celulose

Suzano manda oficiar corretoras de criptomoedas em processo na justiça

Em um processo que corre na justiça desde 2018, movido pela Suzano Papel e Celulose S/A, a justiça mandou oficiar algumas corretoras de criptomoedas....
Mercado Bitcoin

Volume do Mercado Bitcoin cresce e corretora pode abrir capital na bolsa

O volume de negociações de uma das maiores corretoras de criptomoedas do Brasil, o Mercado Bitcoin, cresceu 862% no mês de abril quando comparado...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias