Banco Central da Argentina dá força para o Bitcoin

Problemas de governança!

Siga no

Com a inabilidade em resolver os problemas da inflação, o Banco Central da Argentina dá força para o Bitcoin (BTC). Essa moeda digital ganha força em cenários de crises econômicas no mundo em mais um capítulo.

A principal criptomoeda já criada até então, já mostrou o porque sua tecnologia auxilia as pessoas na luta contra estados. Além disso, sua força foi apresentada às populações em crises locais de países, como Venezuela, Turquia e a própria Argentina.

Banco Central da Argentina da força para o Bitcoin

Só em março de 2019, o Banco Central da Argentina já revisou a política monetária três vezes. Além disso, a inflação continua acelerando a uma taxa superior a 50% no país.

A Bloomberg publicou no dia 16 de abril um estudo sobre este caso. No texto a revista explica o porquê do peso argentino perder força pelo terceiro mês consecutivo.

Para tentar contornar a sequência de canetadas em vão, o governo anunciou um congelamento de preços até o fim do ano. Essa atitude, explica o Youtuber Rafael (vídeo abaixo) indica uma medida desesperada em busca da reeleição de Mauricio Macri.

Bitcoin pode ajudar a população argentina a manter o poder de compra

As criptomoedas públicas surgiram ao mundo sem controle estatal. Ou seja, empresas e governos não mantém controle das mesmas.

Dito isso, o Bitcoin é uma das opções para se manter o capital, uma espécie de hedge para crises financeiras.

A população do país já percebeu a relevância da moeda digital como força frente ao peso argentino. Isso se justifica pelo grande aumento da compra de BTC desde 2018.

Maturidade do mercado argentino de criptomoedas é referência na região

A Argentina é um dos países que mais possuem ATMs de Bitcoin na América do Sul. Além disso, Coinbase e Binance já anunciaram que vão criar operações no país. Ambas são consideradas as maiores plataformas de compra e venda do mundo.

A Binance, por sua vez, está criando uma operação no país com ajuda do próprio governo argentino.

Finalmente, o Bitcoin, em março de 2019, teve uma grande visibilidade ao ser ventilado a possibilidade de ser a nova moeda oficial da Argentina. O fato, entretanto, era uma sugestão de um entusiasta de criptomoedas.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Casa a venda por Bitcoin negócio imobiliário

Bitcoin vira garantia em negócio para crédito imobiliário pela primeira vez

Ao tentar obter um crédito imobiliário um credor de uma negociação comprovou ter Bitcoin e conseguiu ter seu financiamento aprovado. Muitas pessoas quando vão ao...
Abilio Diniz, empresário e bilionário brasileiro

O3 Capital, que tem Abílio Diniz como sócio, investe em ETF de criptomoedas

Uma empresa que tem Abilio Diniz como conselheiro investiu em criptomoedas via ETF listado na bolsa de valores brasileira. A aquisição foi feita pela...
Pessoa guardando Bitcoin em carteira

Regulação fechando o cerco contra corretoras faz investidores sacarem US$ 2,5 bi em bitcoin...

Após a crescente pressão de regulamentação sobre corretoras do mercado de criptomoedas, investidores de Bitcoin seguem enviando seus saldos para carteiras seguras. A análise foi...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias