Bitcoin segue tendência de alta e se aproxima dos R$ 50 mil

O FOMO, junto do medo da recessão tem sido um dos principais motores para a recente movimentação positiva que o Bitcoin apresentou nas últimas semanas.

Siga no
Análise Técnica Bitcoin
Bitcoin Gráfico

Chegando no final de abril estamos entrando na reta final do período pré-halving. Nesse período o Bitcoin pegou muitos de surpresa ao sair de uma negociação lateral de semanas e alcançando valores acima dos US$ 8.000 durante essa semana, no começo do dia 30, o bitcoin teve mais um movimento importante, batendo o valor de US$ 9.450.

O valor foi atingido por volta das 3:10 desta quinta-feira (30), no entanto, o nível se mostrou uma forte resistência e uma rápida correção sucedeu nas próximas horas. O preço encontrou suporte em US$ 8.680 e desde então se mantém acima da casa dos US$ 8.700.

Foram mais de 12% de alta desde a quarta-feira e isso não só animou os muitos investidores, mas também colocou o Bitcoin em uma área de preço essencial para esse período pré-halving.

Entrar nesse momento com um mercado positivo pode tornar a narrativa de oferta e demanda ainda muito mais forte e mais garantir resultados melhores para o período pós-halving.

No entanto, é preciso entender, ou ao menos tentar, o que está levando a essa alta no preço para ter a certeza de que não é mais uma armadilha de touro se aproximando.

Bitcoin ultrapassa os US$ 9.000, mas por que?

Bitcoin em Alta
Bitcoin em Alta

Existem diferentes motivos para tentar determinar essa recente alta que vem ganhando força desde o começo dessa semana. Temos a narrativa do próprio halving, que em teoria, aumenta o interesse do público, principalmente o FOMO.

Com mais investidores procurando comprar o Bitcoin antes do evento para conseguir aumentar os lucros em uma possível alta, a demanda aumenta e o preço do ativo é elevado.

Ao analisar o Whale Alert, um bot do Twitter que monitora grandes transações no criptomercado, não há muitas movimentações que possam indicar que baleias estejam alterando o preço da moeda de alguma forma, apesar de grandes valores sendo transferidos em USDT, que costuma trazer altas no preço do bitcoin.

Ao que tudo indica, a demanda parece ter sido alavancada pela falta de confiança no mercado tradicional.

Medo de recessão nos EUA pode ter elevado o preço da moeda

Mercado de ações em queda, pior crise desde 2008?
Estamos no pior crise econômica desde 2008, diminuindo a confiança no dólar e outras moedas fiduciárias.

Assim como o resto do mundo, os EUA também estão passando por um momento de grande preocupação com a economia. Curiosamente, a alta do Bitcoin coincidiu com rumores de um novo cheque de auxilio emergencial para os cidadãos do país norte-americano.

De acordo com o site Coin Nounce o FED continua tentando encontrar maneiras de segurar a crise enquanto ajuda a população do país. Com isso, as taxas de juros para os bancos estão quase chegando a zero.

Como apontado pelo site CoinDesk, o presidente do FED, Jerome Powell, disse em uma coletiva de impressa, que a instituição vai continuar tentando ao máximo manter a economia dos EUA sem problemas nos próximos meses.

Além dos juros ficando entre 0% e 0.25%, o FED vai continuar comprando ativos da Tesouraria dos EUA em grandes quantidades.

Essas ações, junto com os programas de auxílio emergencial fizeram com que o orçamento anual do FED alcançasse US$ 6.5 trilhões em seus 107 anos de história. Esse é um valor assustador e que com certeza indica uma grande crise em uma economia que já vinha acumulando débito.

Ainda durante a conferência, Powell afirmou que o próximo relatório econômico do país via revelar o “dano sem precedentes do coronavírus.”

O FOMO, junto do medo da recessão tem sido um dos principais motores para a recente movimentação positiva que o Bitcoin apresentou nas últimas semanas.

Bitcoin superando o ouro e o S&P 500

Balança com ouro e Bitcoin
Apesar de também ter se recuperado, o ouro continua atrás do Bitcoin.

Ao atingir o atual valor de mercado, o bitcoin alcançou no gráfico de YTD (Year-to-Date, ou seja, do começo do ano até a data de hoje) uma valorização de 20%, conseguindo recuperar parte das perdas no início da crise.

O ouro valorizou “apenas” 12% no mesmo período. A movimentação dos dois ativos deu ainda mais força para aqueles que apostam nos dois como reservas de valor.

No entanto, não foi apenas o ouro que o Bitcoin ultrapassou com essa mais recente valorização. Como apontando pelo The Block, a performance da criptomoeda ultrapassou a do S&P 500 pela primeira vez desde março, durante a queda das ações.

Ao analisar o período desde 20 de fevereiro, é possível notar que o bitcoin teve uma recuperação para cerca de -13.85% (negativo) enquanto o S&P 500 tem o índice por volta de -14.01%. Além disso, o ativo está acima dos US$ 8.000, enquanto o índice tradicional bateu US$ 2.920.

A crise afetou tanto o mercado de ações quanto o de ativos digitais tiveram um começo parecido durante a recente crise. No entanto, o Bitcoin mostrou uma recuperação muito mais rápida e parece estar no caminho para novos ganhos.

Mesmo com incerteza, a recente alta já foi lucrativa para muitos

Muita gente está correndo para comprar o Bitcoin nesse momento pré-halving, principalmente com essa recente alta. No entanto, tem outros que estão correndo para vender, já que eles obtiveram um grande lucro.

Esse é o caso de Tone Vays, famoso trader de Bitcoin e defensor da criptomoeda, que disse ter aproveitado a alta para sair da sua posição longa com o ativo digital. Vays explicou que aproveitou a queda recente para comprar a moeda e vendeu quando o preço atingiu os US$ 9.000.

E ele não foi o único, como apontado pelo Glassnode no Twitter, agora o mercado do bitcoin é mais lucrativo do que ele era antes da última queda. Isso indica que muitos investidores compraram na queda para vender na alta.

Como é comum em todo o mercado “Buy the Dip”. Ou seja, compre na queda.

Vale lembrar que a atitude de Vays demonstra um comportamento comum entre vários investidores. Isso pode sinalizar uma futura queda de preço, caso muitos vendam as suas moedas para aproveitar o lucro.

Vale lembrar que essa notícia tem caráter informativo e não deve ser usada como recomendação de investimento.

Leia mais sobre:
Matheus Henrique
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Diego Armando Maradona homenagem criptomoeda Ethereum morreu

Maradona é eternalizado em blockchain Ethereum

Maradona significa na Argentina a perfeição de um jogador de futebol, sendo por lá um ícone do esporte. Após a notícia de sua morte,...
Carro de polícia com sirene ligada policiais criptomoedas Bitcoin

Polícia Civil recebe treinamento de identificação e apreensão de criptomoedas no exterior

Chegou ao fim mais um curso de capacitação promovido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública no Brasil. Agora, vários policiais aprenderam a bloquear...

CVM dos EUA é acusada de dar vantagens à China no mercado cripto

O Diretor de Inteligência Nacional (DNI) dos Estados Unidos, John Ratcliffe, enviou uma carta ao presidente da Comissão de Valores Mobiliários americana (SEC) expressando...

Últimas notícias

Polícia Civil recebe treinamento de identificação e apreensão de criptomoedas no exterior

Chegou ao fim mais um curso de capacitação promovido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública no Brasil. Agora, vários policiais aprenderam a bloquear...

CVM dos EUA é acusada de dar vantagens à China no mercado cripto

O Diretor de Inteligência Nacional (DNI) dos Estados Unidos, John Ratcliffe, enviou uma carta ao presidente da Comissão de Valores Mobiliários americana (SEC) expressando...

Bitcoin bate recorde de preço no Canadá

O preço do Bitcoin no Canadá bateu recorde de preço. A moeda digital foi negociada a C$ 25.300 pela primeira vez na história do...