Desvalorização do Bitcoin e alta do ouro é “reveladora”, diz analista que previu queda de 80% em 2017

Peter Brandt é conhecido pela sua análise correta do mercado no final de 2017, quando o Bitcoin valia 70 mil reais. Ele previu uma queda de 80% (que aconteceu exatamente como ele disse no ano de 2018).

Siga no
Bitcoin e Barras de Ouro
Bitcoin e Barras de Ouro

Peter Brandt, um trader técnico veterano que conta com os seus 72 anos, afirmou nas redes sociais que a queda recente do Bitcoin em relação a alta do ouro e a queda de várias ações no mundo é “reveladora.”

Isto poderá significar que os investidores vêm ainda a principal criptomoeda do mercado como um ativo de risco e não como uma reserva de valor, apesar de todas as comparações que colocam a moeda digital numa posição de “ouro digital.”

De acordo com o analista, o desempenho do bitcoin recente é revelador, presume-se, pelo seu desempenho alinhado com o de outros ativos de risco como ações, que estão em queda devido ao surto do coronavírus (COVID-19), que o bitcoin seja u mativo de risco.

O coronavírus, segundo dados recentes, já infectou mais de 81,200 pessoas, e levou a vida de 2,770.

O coronavírus já fez o principal índice do mercado americano, o S&P 500, perder um total de US $1.7 triliões nos últimos dois dias, devido ao potencial abrandamento da economia global que este pode causar.

Os mercados têm estado em queda desde que o número de casos fora da China começou a aumentar, passando a investir em produtos mais seguros como o ouro e títulos do Tesouro de países como os Estados Unidos.

O preço do ouro já subiu cerca de 5% nos últimos 30 dias, enquanto o Bitcoin, graças à sua mais recente queda, está negativo por 0.76% no mesmo período, apesar de ter alcançado uma alta de RS R$ 45,120 este mês. A moeda é cotada atualmente por RS $38,280.

Bitcoin é ativo de risco, diz analista que previu queda do bitcoin em 2017

Em seu tweet, Brandt afirma que o Bitcoin não é, por agora, um ativo que atrai os investidores em tempos incertos. Em vez disso a criptomoeda é vista como um ativo de risco.

Vale a pena salientar que Brandt é conhecido no mundo das criptomoedas pela sua análise correta do mercado no final de 2017, quando o Bitcoin estava a trocar de mãos por perto de RS $70,000, tendo na altura previsto uma correção de mais ou menos 80%.

Apesar da previsão de Brandt ter na altura sido vista com maus olhos, a verdade é que a principal criptomoeda começou a cair no final de 2017, tendo chegado a um limite de R$ 12,700 em dezembro de 2018, antes de começar a se recuperar. A queda foi de 81.8%

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Francisco Memoria
Francisco juntou-se à comunidade crypto em 2016, altura em que começou a escrever para várias publicações na área, incluindo Bitcoin.com, CCN, e The Merkle, entre outras. Apoia o libertarismo, e é grande fã e tecnologia.

Bitcoin ganha novo impulso de alta e supera US$ 34 mil, entenda

O Bitcoin continua a se recuperar de sua queda no início da semana após várias empresas darem sinais que estão correndo para apostar no...
dolar rasgado e Bitcoin. Imagem: ShutterStock

Valor total de transações com bitcoin em 2021 deve superar PIB dos EUA

Pela primeira vez em menos de sete meses, o volume total de transferências com bitcoin ultrapassou US $ 15,8 trilhões. Como resultado, o volume...
CEFI vs DEFI

DeFi vs CeFi: Finanças Centralizadas vs Finanças Descentralizadas

Finanças descentralizadas (DeFi) são uma das fatias mais cobiçadas da indústria de blockchain hoje, mas a ideia em si tem origens muito mais humildes. Na verdade,...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias