Google e Apple estão tentando matar o Bitcoin?

Siga no

Google e Apple estão tentando matar o Bitcoin? Essa é a pergunta de um artigo publicado nessa semana pela revista americana Forbes, que lista algumas providências tomadas recentemente pelos gigantes da tecnologia contra a comunidade das criptomoedas e que levou muitos internautas a acusarem as duas empresas de censura.

O último ataque de Google e Apple se deu contra o aplicativo Bitcoin Blast, que chegou a ser retirado do Google Play e da Apple Store, poucos dias depois de ter estreado nas duas lojas virtuais. Google motivou o banimento por suposta “prática enganosa”, enquanto a Apple informou que o app não respeitava as regras da loja virtual.

Após as reclamações de Daniel Rice, desenvolvedor do Bitcoin Blast, Google autorizou a volta do aplicativo ao Google Play. Já a Apple pediu que o app seja alterado para se adequar à política do seu “store”. Por enquanto não há previsão para que isso aconteça.

O Bitcoin Blast é um jogo, com mais de 25 mil avaliações e nota de 4.5 no Google Play, que permite que o usuário seja recompensado na criptomoeda.

Vale lembrar que, desde setembro de 2018, Google permite anúncios relacionados a criptomoedas em suas plataformas. Enquanto isso, outro gigante americano, o Facebook luta para tirar Libra, sua própria moeda virtual, do papel.

Precedentes

Não é a primeira vez que as criptomoedas entram na mira dos gigantes do Vale do Silício. Em dezembro, o YouTube chegou a banir centenas de vídeos relacionados ao universo das criptomoedas. Um dia depois, o Google admitiu o erro (sem dar uma explicação detalhada), e reviu a decisão.

A iniciativa chamou atenção porque a medida atingiu apenas canais menores, poupando os com mais visualizações e inscritos. Vários internautas protestaram nas redes sociais e chegaram a sugerir um boicote contra o Google.

“Talvez esteja na hora de a comunidade #crypto lançar sua própria plataforma blockchain de mídia social resistente à censura”, escreveu no Twitter, Changpeng Zhao, fundador e CEO da corretora de criptomoedas Binance.

Youtube removendo canais sobre criptomoedas

Em dezembro, o Youtube, a maior plataforma de compartilhamento de vídeos do mundo começou a remover alguns vídeos relacionados a criptomoedas e bitcoin.

Vários Youtubers que produzem conteúdo sobre moedas digitais relataram que tiveram seus vídeos excluídos pela plataforma sem aviso prévio.

A gigante da tecnologia disse que esses vídeos  “violavam suas diretrizes de conteúdo”, sendo  “nocivos ou perigosos” ou como “venda de produtos regulamentados”.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Andrea Torrente
Jornalista italiano, no Brasil desde 2009. Já escreveu para Gazeta do Povo, Valor Econômico e outros veículos italianos e brasileiros.
Amazon e mão segurando Bitcoin

Amazon nega rumores de que vai aceitar Bitcoin como pagamento

A Amazon, terceira maior empresa em valor de mercado do mundo, negou nesta segunda-feira (26) que irá aceitar Bitcoin como pagamento este ano. Nos...
Preço do Bitcoin acima de US$ 40 mil

Após seis dias em alta, Bitcoin supera US$ 40 mil

O preço do Bitcoin rompeu os 40 mil dólares em um movimento forte do lado comprador e após seis dias de fechamento diário em...
Hacker segurando Bitcoin

Trader de Bitcoin tem e-mail hackeado e perde R$ 350 mil

Um trader de Bitcoin alega ter sido hackeado após um vazamento de dados e como resultado perdeu tudo que tinha na corretora Binance. Seu...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias