Modelo de mineração introduzido pelo Bitcoin está em desuso

O PoW continua seguro após 13 anos da introdução do Bitcoin, ao menos para moedas grandes, sendo difícil que o mesmo seja abandonado sem uma real justificativa.

Popularizado pelo Bitcoin, o modelo de mineração que usa poder computacional para resolver “quebra-cabeças” está perdendo sua popularidade. Enquanto o Proof-of-Work (PoW) foi um padrão no início das criptomoedas, hoje sistemas alternativos tomam conta do setor.

Após a migração do Ethereum para Proof-of-Stake (PoS), programada para o próximo mês, apenas duas das dez maiores criptomoedas continuarão usando PoW, Bitcoin e Dogecoin. Entretanto, até mesmo a DOGE pode abandonar tal modelo no futuro.

Enquanto isso, outros projetos seguem apostado principalmente em variações de PoS, onde as próprias moedas da rede são usadas como garantia, para fornecer segurança à rede. O principal motivo? Incapacidade de usar o PoW.

O que levou ao abandono do Proof-of-Work?

Primeiramente, é preciso entender que o uso do Proof-of-Work era comum no passado porque os poucos projetos existentes eram apenas clones do Bitcoin, como o Litecoin, por exemplo.

Entretanto, o uso do mesmo algoritmo em duas moedas, como no caso do Bitcoin (BTC) e Bitcoin Cash (BCH) com o SHA-256, ou Dogecoin (DOGE) e Litecoin (LTC) com o Scrypt ou então com Ethereum (ETH) e Ethereum Classic (ETC) gera alguns problemas.

O principal deles são os ataques de 51% e as moedas mais vulneráveis são as que possuem menor valor de mercado. Como exemplo, ETC e BCHA já sofreram tal ataque após a migração da força computacional de tais equipamentos.

Portanto, o abandono do modelo de mineração do Bitcoin por outras moedas tem ligação direta com a incapacidade destes projetos em manter a sua rede segura com o PoW. Já em outros modelos, como Proof-of-Stake, tais ataques são mitigados enquanto as próprias moedas estão em jogo, literalmente.

Ambientalistas focam em ESG para derrubar o Bitcoin

Com a disposição de modelos com menor consumo de energia, ambientalistas começaram a pressionar o modelo de mineração do Bitcoin, pedindo que o mesmo abandone o Proof-of-Work.

Entretanto, é difícil que isso aconteça. Afinal, o Bitcoin é tido como “energia digital” por alguns grandes entusiastas, como Michael Saylor, sendo este justamente o seu diferencial. Até mesmo Henry Ford comentou, em 1921, que uma “moeda baseada em energia” poderia acabar com as guerras.

Portanto, com o abandono do PoW pelo Ethereum, o Bitcoin então será ainda mais diferente das maiores criptomoedas do mercado. O lado negativo disso é que o BTC será cada vez mais pressionado tanto por ambientalistas quanto por legisladores no futuro, sendo nosso papel lutar contra isso.

Por fim, o PoW continua seguro após 13 anos da introdução do Bitcoin, ao menos para moedas grandes, sendo difícil que o mesmo seja abandonado sem uma real justificativa.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias