PF pode investigar 1.200 líderes da Unick Forex, diz jornal

Siga no
Divulgação/Polícia Federal PF
Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal lançou uma nova fase da Operação Lamanai, que em outubro desarticulou a Unick Forex, pirâmide financeira gaúcha responsável por movimentar R$ 28 milhões. A informação foi publicada pelo jornal NH.

O foco dessa etapa seria a atuação dos líderes do esquema criminoso. A PF não confirmou a informação veiculada no jornal gaúcho.

De acordo com a publicação, só no Rio Grande do Sul cerca de 1.200 líderes da Unick devem ser investigados. Somente no Vale dos Sinos – região que compreende 14 municípios localizados na Grande Porto Alegre – há pelo menos um líder em cada cidade.

Todos esses representantes do esquema, de acordo com o jornal, podem ser indiciados e ir para o banco dos réus, assim como ocorreu com o presidente do negócio fraudulento, Leidimar Lopes, e outros 12 membros. Lopes está preso na Penitenciária Estadual de Canoas.

Líderes da Unick não são vítimas, diz jornal

Ainda segundo a publicação, que afirma ter ouvido um dos investigadores responsáveis pelo caso, esses líderes deixaram de ser vistos como vítimas da pirâmide e passaram a ser encarados também como responsáveis.

A reportagem procurou Marcos Prata para comentar a nova fase da operação, mas o líder da Unick em Manaus, que no mês passado afirmou ao Livecoins ser vítima do esquema, não respondeu.

“Pirâmide dentro de pirâmide”

O jornal também afirma que a Unick teria sido vítima de golpes aplicados pelos próprios líderes, que arrecadavam dinheiro por conta própria, mas, em vez de aplicar os recursos na “empresa”, depositavam a grana em suas contas particulares.

Situação semelhante ocorreu na Wolf Trade Club, pirâmide financeira que deu prejuízo de R$ 30 milhões em Curitiba.

O jornal também relata que diversos pastores religiosos seriam líderes da Unick no Rio Grande do Sul e cita o caso do padeiro João Batista Silva, 44, morto no mês passado em Curitiba. Silva era líder da Unick e da A2 Trader e tinha um canal sobre criptomoedas no YouTube.

Em valores, caso só perde para a Lava Jato, diz jornal

De acordo com a matéria, se todos os líderes forem denunciados o caso deve ser o maior da Justiça Federal do Rio Grande do Sul. Em valores, segundo o texto, só perderia para a Lava Jato.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
Casa a venda por Bitcoin negócio imobiliário

Bitcoin vira garantia em negócio para crédito imobiliário pela primeira vez

Ao tentar obter um crédito imobiliário um credor de uma negociação comprovou ter Bitcoin e conseguiu ter seu financiamento aprovado. Muitas pessoas quando vão ao...
Abilio Diniz, empresário e bilionário brasileiro

O3 Capital, que tem Abílio Diniz como sócio, investe em ETF de criptomoedas

Uma empresa que tem Abilio Diniz como conselheiro investiu em criptomoedas via ETF listado na bolsa de valores brasileira. A aquisição foi feita pela...
Pessoa guardando Bitcoin em carteira

Regulação fechando o cerco contra corretoras faz investidores sacarem US$ 2,5 bi em bitcoin...

Após a crescente pressão de regulamentação sobre corretoras do mercado de criptomoedas, investidores de Bitcoin seguem enviando seus saldos para carteiras seguras. A análise foi...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias