O evento que fará as criptomoedas voltarem a subir, segundo o JPMorgan

Com a alta das taxas de juros, hoje muitas stablecoins estão lucrando com os títulos do Tesouro americano. No entanto, isso preocupa os analistas do JPMorgan já que existe um risco de calote.

Após o início da crise bancária nos EUA, algumas stablecoins foram massacradas. A USDCoin (USDC), segunda maior do mercado, chegou a perder a paridade com o dólar por um instante, mas esse tempo foi suficiente para afetar a confiança dos investidores.

Em relação março, a USDC viu sua capitalização sair de US$ 43,7 bilhões para menos de US$ 30 no momento. Quanto a seu ápice, de junho de 2022, a queda é de quase 50%.

Além de problemas com bancos, outras stablecoins também estão sofrendo com a pressão regulatória americana. O exemplo mais notável é a BinanceUSD (BUSD), cujo valor de mercado caiu de US$ 23 bilhões para US$ 5,5 bilhões em menos de seis meses.

Em relatório publicado nesta quinta-feira (18), o JPMorgan aponta que as criptomoedas só recuperarão seus preços caso esse encolhimento das stablecoins acabe. As citações foram publicadas pelo CoinDesk.

“Os ventos contrários da repressão regulatória dos EUA às criptomoedas, a instabilidade das redes bancárias para o ecossistema cripto e as reverberações do colapso do FTX no ano passado estão pesando no universo da stablecoin, que continua encolhendo.”

No momento, o Bitcoin está em queda de 8% no mês de maio, outras criptomoedas estão acompanhando esse movimento de baixa.

Tether aproveita crise de rivais, mas está no zero-a-zero

Enquanto suas rivais encolhem devido aos seus próprios problemas, a Tether (USDT) está absorvendo parte desse capital.

Nos últimos seis meses, sua capitalização cresceu 17 bilhões de dólares, mas isso só foi suficiente para deixá-la no zero-a-zero no período de 12 meses. Afinal, a Tether passou por sua própria crise após o colapso da stablecoin TerraUSD (UST), em maio do ano passado.

De qualquer forma, a empresa apresentou um lucro de US$ 1,5 bilhão no primeiro trimestre de 2023. Parte dele será investido em Bitcoin, declarou a Tether nesta semana.

Calote dos EUA é preocupante para o mercado de stablecoins e criptomoedas, alerta JPMorgan

Com a alta das taxas de juros, hoje muitas stablecoins estão lucrando com os títulos do Tesouro americano. No entanto, isso preocupa os analistas do JPMorgan já que existe um risco de calote.

“A participação dos títulos do Tesouro dos EUA nas reservas das principais stablecoins vem aumentando ao longo do tempo, implicando um grande desafio para as stablecoins manterem sua paridade em um cenário adverso de inadimplência técnica dos EUA.”

Em outras palavras, além da quebra de bancos usados por stablecoins e da pressão regulatória, investidores agora tem mais um motivo para desconfiarem que stablecoins sejam um porto-seguro.

Dado que as stablecoins desempenham um papel crucial no mercado de criptomoedas, principalmente com bancos cortando acesso direto a corretoras, qualquer problema com elas pode causar danos a toda indústria, afetando a liquidez dos mercados.

💰 $100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias