Citando Lula, criador do Megaupload fala sobre fim da hegemonia do dólar

Kim Dotcom, fundador do site Megaupload, é mais uma personalidade atenta ao enfraquecimento do dólar na economia mundial. Como exemplo, Kim citou o recente acordo entre Brasil e China para eliminar o dólar de transações entre os dois países.

Outros que poderiam se juntar a esse tratado seriam Rússia, Índia e África do Sul. Afinal, além da censura dos EUA à Rússia, estes cinco países fazem parte do BRICS.

Quanto ao fundador do Megaupload, Kim Dotcom é um velho conhecido na comunidade das criptomoedas. Ainda em 2020, o empresário tinha um plano de trazer um bilhão de usuários para o Bitcoin através de seu site. No entanto, a ideia nunca saiu do papel.

Kim Dotcom comenta queda da hegemonia do dólar

Em suma, Kim Dotcom tratou o acordo entre Brasil e China como uma afronta aos EUA. Ou seja, o abandono do dólar em suas transações seria mais um passo em direção a queda do dólar.

“O presidente do Brasil pede o fim do domínio comercial do dólar americano. A lista de países que estão abandonando o USD no comércio internacional cresce semanalmente. O fim do império dos EUA está próximo, muito próximo.”

Dotcom não é o único que pensa assim. No mês passado, o escritor Robert Kiyosaki referiu-se ao dólar como papel higiênico, apontando que não faz nenhum sentido outros países aceitarem a moeda americana em troca de bens e serviços.

“Seria como se eu fosse ao seu restaurante e lhe desse dinheiro falso e você me desse comida de verdade, serviço de verdade”, apontou o autor do livro Pai Rico, Pai Pobre na data. “Você tem impostos sobre custos trabalhistas e todas essas coisas, mas continuo dando dinheiro falso e é isso que os Estados Unidos fazem há anos.”

Dólar está enfraquecendo, mas não há concorrentes

Outros que criticaram a política monetária dos EUA foram os presidenciáveis Donald Trump e Robert F. Kennedy Jr, sobrinho de John J. Kennedy.

Em texto publicado na segunda-feira (10), o sobrinho do famoso ex-presidente americano destacou que os EUA imprimiram US$ 10 trilhões apenas nos últimos 14 anos. Ou seja, todos os países que possuem reservas em dólar sofreram com essa inflação.

Donald Trump notou que o dólar está deixando de ser o padrão global e que isso seria a maior derrota de seu país. “Agora somos uma nação falida, somos uma nação em declínio”, declarou o ex-presidente americano.

No entanto, ainda que os EUA estejam perdendo sua dominância na economia, isso está acontecendo lentamente. Um dos maiores motivos é a falta de um concorrente a altura. Afinal, poucos confiariam em uma moeda fiduciária da China.

Já o Euro, assim como qualquer outra moeda estatal, sofre dos mesmos problemas do dólar: impressão desenfreada, perda de poder de compra e censura.

Em uma análise fria, ouro e Bitcoin seriam as melhores alternativas. No entanto, é difícil imaginar que algum país grande dê o primeiro passo. Portanto, cabe ao próprio cidadão se proteger por sua própria conta. Afinal, independente de qual moeda for o padrão global, o comportamento de “crianças de 8 anos jogando futebol atrás da bola” de governantes indica que veremos mais do mesmo, para sempre.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias