Bitcoin é a salvação, diz sobrinho de John Kennedy, candidato a presidente dos EUA

Em um recente tuíte, Robert J. Kennedy Jr afirma que o governo Biden está mentindo quando diz que a introdução do FedNow (uma espécie de PIX dos EUA) não é um passo em direção a moeda digital americana, ou seja, o dólar digital.

Robert F. Kennedy Jr, candidato a presidência dos EUA, está preocupado com a política econômica dos EUA. Como exemplos, citou a chegada do dólar digital, a impressão desenfreada de dinheiro e a guerra contra as criptomoedas.

No longo tuíte publicado na segunda-feira (10), o sobrinho do ex-presidente americano John F. Kennedy também afirmou que o Bitcoin é uma “rota de fuga” para aqueles que querem se salvar do estouro da bolha do dólar.

Robert Kennedy não é o único presidenciável americano preocupado com o dólar. Na semana passada, Donald Trump afirmou que o USD está deixando de ser o padrão global e isso seria a maior derrota para seu país.

EUA possuem candidato a presidência a favor do Bitcoin

Embora a inflação do dólar já tenha recuado após atingir sua máxima das últimas quatro décadas, a situação econômica americana segue preocupando seus cidadãos e vem sendo usada em campanhas políticas.

Em um recente tuíte, Robert J. Kennedy Jr afirma que o governo Biden está mentindo quando diz que a introdução do FedNow (uma espécie de PIX dos EUA) não é um passo em direção a moeda digital americana, ou seja, o dólar digital.

“Seria mais fácil digerir [essa fala] se não soubéssemos da constante enxurrada de ataques hostis do governo Biden contra as criptomoedas.”

Seguindo, Kennedy aponta que o governo americano imprimiu US$ 10 trilhões apenas nos últimos 14 anos e então defende o Bitcoin como uma salvação para essa bolha financeira.

“Criptomoedas como o Bitcoin oferecem ao público uma rota de fuga da zona de respingos quando essa bolha invariavelmente estourar. Portanto, a Casa Branca está em conluio com os banqueiros para nos manter presos na bolha da especulação e do controle.”

Voltando ao dólar digital, Kennedy Jr citou Balaji Srinivasan, executivo que apostou US$ 2 milhões que o Bitcoin chegará a US$ 1 milhão até junho de 2023.

“Devemos ser cautelosos, pois as CBDCs são os mecanismos definitivos de vigilância e controle social”, finalizou Kennedy Jr. “Como Balaji Srinivasan diz: “A distinção entre o FedNow e CBDC é importante do ponto de vista técnico, mas não do ponto de vista das liberdades civis”.”

“Balaji compara o FedNow a “um vírus que evoluiu para evitar o reconhecimento, alterando sua sequência sem realmente alterar sua função”.”

Presidenciável também comentou sobre a guerra às criptomoedas

Outro famoso defensor do Bitcoin citado por Robert F. Kennedy Jr no mesmo tuíte foi Nic Carter. No início do ano, o autor alertou o mundo de que os EUA estavam iniciando a “Operação Choke Point 2.0” para banir as criptomoedas na surdina.

“Nic Carter descreve como a Casa Branca organizou os banqueiros para participar de uma repressão sofisticada e generalizada para destruir a indústria de criptomoedas.”

“Carter descreve 15 incidentes em que o presidente Biden armou com o FDIC, OCC e DOJ para forçar os bancos amigos das criptomoedas a fechar suas portas para as empresas cripto desde 3 de dezembro”, continuou Kennedy Jr. “A recente repressão às criptomoedas bloqueia rampas de saída, remove rotas alternativas e fortalece o controle do governo sobre os sistemas financeiro e político.”

Por fim, a voz de políticos como Kennedy Jr podem ajudar o ecossistema a se proteger destas ameaças. Quanto a sua candidatura, é difícil imaginar que ele consiga se eleger apenas com votos de investidores de criptomoedas, afinal, apenas 22% dos americanos investem em Bitcoin, mas já lhe dá uma boa base.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias