Investidores estão sacando bitcoins de exchanges “como nunca”, aponta relatório

Como consequência desta falta de confiança em terceiros, a Arcane aponta que o período também foi marcado por uma crescente venda de carteiras de hardware, como das fabricantes Ledger e Trezor.

Em sete dos oito meses deste ano, investidores mais sacaram do que depositaram bitcoins em exchanges. Segundo relatório da Arcane Research, este movimento nunca foi tão forte como agora.

O motivo pode ser a falta de confiança em terceiros. Afinal, a comunidade viu diversas empresas travarem saques e declararem falência neste ano, incluindo gigantes como 3AC e Celsius.

O lado positivo é que os investidores parecem estar tomando consciência de que é mais seguro fazer a própria custódia de suas criptomoedas, e isso vale tanto para o Bitcoin quanto para outras como Ethereum.

Junho apresentou maior fluxo de saída de bitcoins

Além do mercado de baixa ter sido responsável queda de tráfego de corretoras, um novo estudo aponta que investidores também estão sacando seus bitcoins das mesmas em um ritmo acelerado.

Segundo a Arcane Research, cerca de 390.000 bitcoins saíram de exchanges em 2022. O mês de junho foi o que apresentou o maior número, apresentando um fluxo de saída de 119.000 bitcoins.

“Os hodlers estão tirando seu precioso bitcoin das exchanges como nunca antes, após o colapso dos principais credores de criptomoedas.”

Fluxo de bitcoins em exchanges em 2022. Fonte: Arcane Research.

O único mês com mais depósitos do que saques foi maio, marcado pelo início do colapso da Terra (LUNA) e sua stablecoin UST, gerando um efeito dominó na indústria conforme outros gigantes tinham investimentos na moeda.

Como consequência desta falta de confiança em terceiros, a Arcane aponta que o período também foi marcado por uma crescente venda de carteiras de hardware, como das fabricantes Ledger e Trezor. Portanto, há um lado bom nesta história, os investidores estão mais maduros e procurando alternativas seguras de armazenamento.

Trafego de exchanges segue em queda

Segundo dados do SimilarWeb, o trafego de exchanges continua despencando enquanto o preço do Bitcoin não se recupera. Nem mesmo a Binance, maior corretora do mundo, está livre disso.

Com queda de visitas em diversos países, alguns poucos como Argentina estão no caminho contrário. O motivo pode ser a alta inflação do país, obrigando seus cidadãos a procurarem alternativas como Bitcoin ou até mesmo stablecoins lastreadas em dólar para salvar suas economias.

Trafego da Binance pelos principais países. Fonte: SimilarWeb.

Por fim, muitos acreditam que estes momentos de queda são os melhores para acumular Bitcoin, principalmente com pequenos aportes mensais na estratégia apelidada de DCA. De qualquer forma, a recomendação é manter seus bitcoins fora de exchanges, tendo total controle sobre seus fundos, evitando confiscos e outros problemas.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias