Relatório do Goldman Sachs sobre bitcoin deve ter sido feito por estagiários, diz diretor de exchange

O diretor da Kraken também apontou alguns erros técnicos. Um deles, por exemplo, foi confundir “fork” com “inflação”. Fork, em explicação simples, é o nome usado para descrever atualizações ou mudanças na blockchain.

Siga no
Foto/Divulgação

Dan Held, diretor de desenvolvimento de negócios da Kraken – exchange sediada na Califórnia (EUA) – disse em seu perfil no LinkedIn que o relatório do Goldman Sachs sobre bitcoins só pode ter sido escrito por estagiários.

Na quinta-feira (27), em uma apresentação para clientes, o grupo financeiro multinacional não recomendou investimento em “bitcoin de maneira estratégica ou tática” porque as criptomoedas “não são classes de ativos”.

Relatório associou bitcoin com “esquema Ponzi” e “bolha financeira”

Um dos erros do relatório, escreveu o entusiasta em criptomoedas, foi a alegação de que o bitcoin é um “esquema ponzi”.

Vale reforçar que, apesar de alguns esquemas de pirâmides financeiras afirmarem investir em criptomoedas, eles são bem diferentes do bitcoin.

Esquemas fraudulentos geralmente prometem rendimentos fixos e são insustentáveis em longo prazo. O bitcoin, por outro lado, não oferece lucro fixo e tem um objetivo bem diferente do proposto por golpes.

Held também criticou o fato de o Goldman Sachs sugerir que o bitcoin é uma “bolha”. “Uma bolha que continua subindo?”, questionou ele.

Entusiasta de criptomoedas apontou erros técnicos

O diretor da Kraken também apontou alguns erros técnicos. Um deles, por exemplo, foi confundir “fork” com “inflação”. Fork, em explicação simples, é o nome usado para descrever atualizações ou mudanças na blockchain.

Além disso, o entusiasta das criptomoedas também escreveu que a instituição financeira fez confusão ao colocar no mesmo patamar a possibilidade de uma corretora de criptomoedas ser invadida por um hacker e a possibilidade de a invasão ocorrer no próprio sistema do bitcoin, o que são duas situações diferentes.

A blockchain que sustenta o bitcoin está funcionando faz 12 anos e é considerada um registro forte de segurança, “sendo provavelmente o maior projeto de computação distribuída do mundo”, segundo o Bitcoin.org.

Bitcoin sobe mesmo após crítica do Goldman Sachs

Apesar de critica do Goldman Sachs, o bitcoin subiu 5% na quinta-feira (28), superando os US$ 9.500. Antes dessa alta, o maior ativo digital do mundo lutava para conseguir se manter na casa dos US$ 8.800

No final da manhã desta sexta-feira (29), a criptomoeda estava sendo negociada a US$ 9.443, com leve queda de -0,71% na comparação com o valor registrado ontem.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
Glaidson dos Santos em pronunciamento feito pela Gas Consultoria antes de Operação da PF Faraó dos Bitcoins

Justiça bloqueia mais de meio milhão do “Faraó dos Bitcoins” em apenas quatro horas

A justiça brasileira determinou o bloqueio de mais de meio milhão de reais das contas do Faraó dos Bitcoins em menos de quatro horas. Essa...
Homem com algemas segurando Bitcoin criptomoedas sequestro prisão

Polícia desarticula quadrilha que iria sequestrar investidor de criptomoedas em Campinas

A polícia militar de São Paulo, por meio de seu Batalhão de Ações Especiais (BAEP), ajudou o Gaeco a desarticular uma quadrilha que planejava...
Imagem de enterro do Bitcoin após morte

Quantas vezes o Bitcoin morreu? 37 só este ano

Segundo estatísticas do site 99Bitcoins, o Bitcoin já foi declarado "morto" 37 vezes apenas em 2021, quase três vezes mais do que todo o...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias