Dados pessoais de clientes da URPay foram vendidos para hackers por R$ 2 milhões

"Nada é tão ruim que não possa piorar."

Siga no
Site Urpay
Site Urpay

A URPay, principal hub de pagamentos utilizado pela maior pirâmide financeira dos  últimos anos (Unick Forex) teve 1,6 milhão de dados de clientes vendidos na internet por R$ 2 milhões. 500 mil documentos pessoais dos clientes da empresa foram expostos. As informações são do TECMUNDO.

O nome completo, o e-mail, a senha, o CPF, o RG, as fotos dos documentos pessoais e selfies fazem parte do vazamento.

A URPay era uma das formas que os clientes da pirâmide Unick Forex poderiam fazer depósitos no esquema. Atualmente, de acordo com levantamento realizado pelo Livecoins, a plataforma de pagamentos digitais possui mais de 150 processos relacionados com a Unick.

AUrpay Tecnologia em Pagamentos Ltdaconsta como beneficiária no boleto relacionado a Unick

Em outras palavras, quem caiu no golpe da Unick, e utilizou a URPay para realizar depósitos no esquema, além de não ter recebido o valor de volta, agora têm todas suas informações disponíveis para criminosos da internet.

Esse documentos são utilizados por criminosos virtuais para abertura de contas em outros bancos, empresas, lojas, e verificação de conta em qualquer lugar que exija selfie e foto de documentos.

De acordo com a reportagem do TECMUNDO, os dados foram vendidos em um grupo fechado do Telegram, os valores variavam de R$ 20 a R$ 40 em Bitcoin por linha de informação.

Parte do Vazamento. Imagem: Tec Mundo
Parte do Vazamento. Imagem: Tec Mundo

Como a URPay já teve ligação com centenas de empresas que operavam esquemas de pirâmide, é difícil afirmar se a venda de informações faz parte de um vazamento de dados devido a um hack externo, ou se é algo da própria empresa, que, de novo, sempre foi parceira de empresas criminosas, o que coloca em dúvida a idoneidade dela.

A URPay disse ao Tecmundo que os dados são públicos, e que não são um vazamento. (acredite se quiser).

O caso agora deve seguir para as autoridades, e os responsáveis pela empresa terão que responder por vazamento de dados de acordo com a lei de LGPD. A multa pode ser de até 4% do faturamento anual da empresa.

A LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) brasileira, determina que qualquer empresa que identifique um vazamento precisa notificar a autoridade em até 72 horas.

Veja a matéria completa no TECMUNDO.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.

Bitcoin SV do falso Satoshi Nakamoto sofre mais um ataque 51%

A Rede do Bitcoin Satoshi Vision (BSV) - fork do Bitcoin Cash, que por sua vez é um fork do Bitcoin - é uma...

Presidente da SEC defende Bitcoin e elogia Satoshi Nakamoto

Gary Gensler, presidente da SEC, falou durante um painel no Aspen Security Forum sobre o criptomercado, principalmente defendendo o Bitcoin em relação aos seus "imitadores" e...
Ameaça cibernética leva Bitcoin de vítimas rouba

Baixa torrent? Cuidado, este malware pode roubar seus bitcoins

A Sophos lançou um alerta sobre um malware que está infectando usuários de torrents, o vírus rouba bitcoins e até minera Monero no computador...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias