Inicio Análises Introdução ao Protocolo IPFS: Dados Distribuídos

Introdução ao Protocolo IPFS: Dados Distribuídos

-

Compartilhe
Protocolo IPFS

O protocolo IPFS significa Sistema de Arquivos Interplanetários, um protocolo criado para funcionar de forma peer-to-peer, e que já é utilizado em vários projetos, como por exemplo Paratii.Video que é brasileiro.

O que é o Protocolo IPFS?

O protocolo IPFS foi criado para utilizar a web de uma forma mais aberta e descentralizada, de forma P2P que é semelhante ao Bitcoin e várias criptomoedas.

Com o servidor HTTP, o modelo é centralizado. Já com o IPFS é distribuído, ou seja, descentralizado.

O IPFS é open-source e trabalha com várias linguagens Mainstream em seu desenvolvimento. A linguagem de implementação referência é GO, mas também são utilizadas Python, JavaScript e C.

- Publicidade -

Como a característica deste protocolo é ser distribuída e P2P, aplicações que o utilizam dificilmente estão suscetíveis a ameças como DDOs por exemplo, algo que a rede Bitcoin é segura também.

Com o protocolo IPFS, métodos de censura dificilmente são bem sucedidos. Um outro ponto é que erros 404 de aplicações são incomuns nesse ambiente.

dApps e IPFS

Com a criação de várias blockchains que visam a decentralização, como a Ethereum, Lisk, NEO, Cardano e várias outras mais, o IPFS passa a ter um auxílio enorme na criação de dApps.

Para a rede Ethereum vários aplicativos descentralizados estão sendo construídos, inclusive já há no mercado algumas iniciativas que fazem a certificação do conteúdo na blockchain.

Um exemplo é a criação do projeto brasileiro Paratii.Video, que irá criar um ambiente de vídeos semelhante ao YouTube mas de forma descentralizada, e usará a rede Ethereum e IPFS para isso.

Outra rede que utiliza esse protocolo para criação de dApps para guardar arquivos de forma descentralizado é o FileCoin, que utiliza o protocolo também.

Tecnologia IPFS

O mundo está mudando a sua concepção de liberdade e descentralização, e com isso protocolos cypherpunks vêm ao auxílio da população global.

Estamos acostumados a ver aplicações centralizadas e descentralizadas, mas a Blockchain e o Protocolo IPFS também, funcionam de forma distribuída.

Porém desde a Era dos Torrents e várias outras aplicações mais, estamos nos adaptando ao mundo distribuído na rede.

Com a tecnologia IPFS surge no cenário algo revolucionário para a descentralização, que pode ser utilizado junto a blockchains inclusive.

Com isso, temos que arquivos são permanentes e imutáveis, além de ficar com baixo risco de estarem indisponíveis a qualquer momento, semelhante a tecnologia das criptomoedas e Bitcoin.

Não foi feita nenhuma indicação de compra ou venda de criptoativos acima, somente foi explorado a tecnologia e seu potencial, estude bastante antes de realizar qualquer investimento.
XDEX: Negocie bitcoin com TAXA ZERO. Aproveite também para negociar outras 6 criptomoedas com as menores taxas do mercado. Abra sua conta, é grátis!
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter para começar e terminar o dia bem informado. Cadastra-se também na Newsletter para receber em seu e-mail.

MAIS LIDOS

“Dinheiro não existe”: justiça orienta vítimas a sacarem tudo da Unick Forex

A Unick Forex está sendo investigada pela justiça brasileira. Após uma filial do escritório da empresa ser fechado no interior do Rio Grande do...

Banco Central do Brasil quer dominar a tecnologia blockchain

A tecnologia blockchain foi citada pelo presidente do Banco Central do Brasil, como algo que deverá ser dominado pela economia. Através de uma audiência...

Plubr: Rede Social brasileira baseada em blockchain vai ‘pagar’ usuários por tempo de navegação

A Plubr é a mais nova rede social do Brasil que busca criar uma plataforma completamente monetizada. Com a apresentação do projeto da empresa,...
 
Compartilhe