(Patrick Tan) – Se você fosse um fazendeiro de arroz no Japão antes do século 17, sua vida seria uma constante labuta, incerteza e sofrimento. Embora o custo do cultivo de arroz fosse menos ou mais fixo com sementes, fertilizantes, água e mão de obra, o preço final que você poderia vender o produto final no mercado era como um jogo de caça níquel (um jogo azar).

Durante períodos de colheitas abundantes, o preço do arroz caía e os agricultores às vezes ficavam com menos dinheiro do que o custo de produção, e outras vezes, durante colheitas ruins, os preços do arroz subiam e os agricultores ficariam ricos (desde que tivessem sobrevivido ao prejuízo anterior).

Imagem: Pixabay

No início do século 17, agricultores, clientes e comerciantes decidiram criar o primeiro comércio de contratos futuros – a Dojima Rice Exchange em Osaka, Japão em 1710, formada com o propósito expresso de negociar contratos futuros de arroz com base em contratos padronizados, daí o termo “contratos futuros”.

Em teoria, o conceito de um contrato futuro padronizado de arroz era elegante e o objetivo era fornecer estabilidade a um alimento básico da dieta japonesa – os produtores de arroz poderiam garantir o preço futuro de seu produto, assegurando um preço que eles sabiam que poderiam produzir arroz e obter lucro na venda, enquanto especuladores ou comerciantes poderiam tomar o lado oposto do produto e lucrar com quaisquer mudanças subsequentes no preço do arroz no momento da entrega desses contratos.

Mas o que aconteceu na primeira metade do século XVII derrubou essas suposições.

Nos primeiros anos da década de 1730, colheitas fracas de arroz não resultaram em aumento nos preços do arroz, mas na perda de valor. E com a economia japonesa ainda muito dependente do arroz como meio de troca, Samurais, que recebiam seus rendimentos em arroz, entraram em pânico quando o valor de suas sacas de arroz despencaram.

Em meio à relação inversa entre a colheita de arroz e o preço do arroz, especuladores e supostos conspiradores entraram em ação para ganhar dinheiro ao jogar no mercado os contratos futuros de arroz, estocando grandes quantidades de arroz para manipular os preços, levando à fome generalizada. Longe de proporcionar um mercado de arroz estável, acessível e transparente, a experiência japonesa inicial com o mercado de contratos futuros foi desastrosa.

Então, o que tudo isso tem a ver com o Bitcoin?

Se você acompanha notícias sobre bitcoin, deve ter observado que no dia 20 de novembro, a Bakkt comunicou a todos – através das mesmas pessoas que administram a Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) – sobre o lançamento de contratos futuros de Bitcoin em 24 de janeiro de 2019 (antes previsto para 20 de dezembro).

O anúncio no mercado já desprovido de boas notícias ajudou o preço do Bitcoin, que já estava em apuros, cair ainda mais.

O fato de que a comundade e o mercado exagera nos debates é, na melhor das hipóteses, discutível – os traders vêem a Bakkt como uma bala de prata para resolver o mal-estar nos preços das criptomoedas – parece otimista demais e apenas facilita mais especulação em um mercado supostamente manipulado.

1. Bitcoin ainda não é um ativo estratégico

Por mais que o Bitcoin um dia se torne um ativo estratégico na mesma linha que o arroz – é bom lembrar que ele ainda não é.

Seja como meio de troca ou reserva de valor, o Bitcoin tem muitos anos para se provar.

A moeda digital ainda não é bem aceita pelos comerciantes, é desconfiada pelos investidores institucionais, e as estruturas ou restrições formais não devem ser consideradas um ator importante no cenário global.

Ao contrário do arroz, ainda não precisamos do Bitcoin para sobreviver – está longe de ser um ativo estratégico.

----- Publicidade ------ 
BitcoinTrade
-----

Além disso existe o fato de que existem milhares de alternativas ao Bitcoin. Além das milhares de outras criptomoedas disponíveis, ainda existem metais preciosos, moedas fiduciárias, obras de arte, propriedades e outros itens colecionáveis.

Nós somos capazes de evoluir sem o Bitcoin.

2. Quem está comprando esses contratos futuros de Bitcoin?

Como o custo da mineração de Bitcoin varia muito dependendo de onde o Bitcoin está sendo minerado, a dificuldade do bloco e o custo da eletricidade, um preço mínimo global para o Bitcoin em um mercado futuro levaria os mineradores àqueles locais onde o preço futuro asseguraria de um lucro mínimo.

Mas isso também significa que bloqueando um preço futuro do Bitcoin, mais mineradores poderiam se envolver nos locais onde a mineração é lucrativa, aumentando a taxa de hash e diminuindo os lucros da própria mineração.

Imagem: Pexels

Ao contrário da agricultura tradicional, a resposta à equação do lado da oferta da mineração de Bitcoin é quase instantânea e as taxas de hash do Bitcoin são transparentes e podem ser monitoradas. Ao contrário de um agricultor de arroz, que não consegue arrancar a sua plantação de arroz para outro local, os mineradores de Bitcoin podem, seja fisicamente ou através de várias pools.

E ao contrário de uma fazenda, a mineração Bitcoin também tem custos variáveis, o que significa que mesmo que uma mineradora Bitcoin comprasse um contrato futuro para garantir um custo de produção acima da mineração Bitcoin, dado que o custo varia com o tempo, não há garantias de que esse preço futuro seja o suficiente para cobrir o custo.

A outra grande diferença é que um agricultor de arroz não pode trocar suas plantações no meio da estação de plantio. Um padi de arroz inundado não pode ser trocado de repente para cultivar trigo ou batata – mas um mineiro de Bitcoin pode. As plataformas de mineração podem ser reconfiguradas para minar as criptomoedas que são mais lucrativas naquele momento, com base nos preços e custos – algo que os mineiros de criptomoedas já estão fazendo neste momento.

Longe de fornecer certeza e estabilidade, um contrato futuro de Bitcoin para entregar uma quantidade definida de Bitcoin em uma data futura prejudicaria a flexibilidade que muitos mineradores de criptomoedas comerciais já viramPor que um minerador de criptomoedas iria querer se comprometer com uma entrega futura de Bitcoin, quando eles poderiam mudar para outra criptomoeda como e quando necessário?

Então, se os mineradores não são necessariamente os principais compradores dos contratos futuros de Bitcoin, quem é?

Assim como no início do século 18 no Japão – traders e especuladores provavelmente serão os principais impulsionadores de um mercado de contratos futuros de Bitcoin, o que levará a enormes picos de euforia, caracterizados pela exuberância irracional e períodos de extremo pessimismo.

Longe de um prenúncio de estabilidade, um mercado de futuros de Bitcoin totalmente regulado exacerbará grande parte da extrema volatilidade pela qual o Bitcoin e outras criptomoedas já são tão famosas e prejudicam seu papel como meio de troca e reserva de valor.

Longe de aumentar a adoção, um mercado de futuros de Bitcoin apenas aumentaria a especulação e a suposta manipulação da já escassa capitalização de mercado do Bitcoin e seus imitadores.

3. Contratos futuros de Bitcoin já existem há algum tempo

Durante as alturas vertiginosas da popularidade das criptomoedas no final de 2017, tanto o Chicago Board of Exchange (CBOE) quanto o Chicago Mercantile Exchange (CME) lançaram seus próprios contratos futuros de Bitcoin com muito alarde.

Os comerciantes estavam esperando dezenas de milhares de contratos por dia, mas o mercado não estava pronto para isso. Com soluções de custódia duvidosas e investidores institucionais sentados à margem, o volume simplesmente não veio.

Combinados, CBOE e CME negociaram cerca de 9.000 contratos por dia no terceiro trimestre de 2018 e, com o dinheiro institucional ainda muito à margem, este volume não deve subir tão cedo.

Como comparação, somente a CME negociou 18 milhões de contratos por dia no segundo trimestre de 2018 em produtos, desde petróleo e ouro até taxas de juros e o S & P500. Basicamente, se houvesse algo em que as pessoas apostassem, você pode apostar que o CME e o CBOE lançariam um contrato.

E você, acha que os contratos futuros em Bitcoin são positivos ou negativos para o mercado?


Texto adaptado, Postado originalmente no medium

Segurança e Liquidez para operar suas moedas digitais.
Baixe agora nosso aplicativo para iOS e Android
Siga também o nosso Instagram com análises diárias

Mantenha-se atualizado, siga no: Google News, Facebook, Twitter, Feedly, Flipboard, Telegram, Whatsapp, Instagram, ou receba por e-mail.